domingo, 31 de janeiro de 2010

Braga 1 - Sporting 0: O Braga vai ser campeão!


Liga Sagres 17ª Jornada

Depois de 7 vitórias consecutivas, visitámos o terreno do líder do campeonato, em Braga, num jogo que voltava a testar mais a sério um Sporting que recupera a sua imagem ambiciosa e competitiva.

Era um jogo que despertaria à partida emoções estranhas, uma vez que, o Sporting, vencendo este jogo, retirava possivelmente a liderança ao Braga e oferecia ao Benfica, perdendo, deixaria o Braga mais firme e determinado em afirmar-se definitivamente como um candidato ao título. No entanto, quebraria esta série bastante positiva de vitórias consecutivas. Estas e outras razões que deixavam antever um jogo - onde só a vitória nos interessava, mas que perdendo poderia ser ser por uma "boa causa".

O Sporting entrou muito forte. Com o corredor do lado esquerdo muito activo, com Grimmi e Ismailov a darem profundidade a um corredor que prometia um bom jogo. Sabíamos que o Braga em casa praticamente só consentiu um empate e um único golo até à data em jogos da Liga. Era por isso fundamental tentar marcar na parte inicial da partida. Os primeiros 5 minutos foram bons para as nossas cores e percebeu-se as grandes diferenças deste Sporting com aquele que partiu para esta época. Ou seja, Carlos Carvalhal mantém o esquema que tão bons resultados lhe tem dado - 4x1x3x2, com 2 pontos que me parecem marcar melhorias no nosso futebol: a) a equipa gosta de controlar a bola mas num espaço mais adiantado, do que habitualmente Paulo Bento preferia; b) a equipa funciona finalmente como um colectivo deslocando-se em conjunto que a atacar que a defender e volta a ganhar rotinas de transições defesa/ataque rápidas e em bloco; c) defensivamente a equipa está mais segura e muito melhor na defesa de lances de origem de livres e cantos.

Estas são as vertentes positivas de uma equipa que está a assimilar melhor os processos ofensivos e defensivos de uma equipa com aspirações altas e que podem determinar a médio prazo um Sporting capaz de discutir "sem espinhas" a luta pelo título.

Mas, "sem espinhas" é também o futebol deste Braga. Muito, mas mesmo muito interessante e em definitivo lançado para discutir o título esta época. O plantel do Braga é de enorme qualidade e bastante equilibrado. Alan e Moisés são 2 jogadores fenomenais. Mossóro, Meyong e Paulo César muito bons tecnicamente e autenticas setas apontadas à nossa baliza e depois Hugo Viana, classe e massa cinzenta desta equipa. Domingos tem de acreditar e as "gentes" de Braga - não fossem na sua maioria "lampiões" - têm que acreditar também. Num jogo de importância extrema para o Braga, meia casa parece-me muito pouco... mas eu compreendo. Provavelmente alguns "Bracarenses" até desejavam uma escorregadela do clube da sua terra.

Individualmente o Sporting, pareceu-me mais desequilibrado. E aqui acho que Carvalhal podia ter tomado precaução. Ismailov pareceu-me fazer um jogo em esforço. Não treinou durante parte da semana, esteve em dúvida até às vésperas da convocação e na partida não esteve com o fulgor físico que lhe temos visto. A paragem foi grande - 7 meses - e é natural alguma fadiga muscular que haveria de fazer mosso depois de um ciclo de competição continua. Carvalhal poderia ter alinhado no inicio com Matias, puxando Moutinho para o corredor direito, Matias ao centro e Veloso na esquerda. Ismailov poderia entrar na 2ª parte... ou até ser poupado para o próximo jogo. Isma fez um jogo abaixo das suas possibilidades, assim como Miguel Veloso, Adrien e até Saleiro. Em bom nível, pareceu-me João Moutinho. Finalmente parece ter chegado à sua forma standard. Liedson, Tonel, Carriço, João Pereira e Grimmi não deslumbraram mas estiveram em bom nível.

O Sporting, foi na minha dúvida dos 3 grandes, aquele que me pareceu criar mais dificuldades na pedreira. Liedson teve uma oportunidade caríssima de golo ainda na primeira parte - ainda com 0 - 0 - mas rematou com demasiada força à meia volta, com a baliza deserta e a bola a passar ligeiramente acima da barra.

De tal forma o Sporting pressionou no último quarto de hora, já com Yanninck, Pongolle e Matias em campo, que o Braga viu-se obrigado a queimar tempo em lances demasiado teatrais. Matias obrigou Eduardo a efectuar a defesa da noite após remate cruzado de cabeça. Mas a solidez defensiva do Braga é impressionante, não dando 1 metro de espaço aos mais criativos do Sporting.

Em conclusão, foi um bom jogo, decidido num remate feliz de Paulo César com ressalto em Tonel que trai Rui Patrício. O Braga continua líder e bem. O Sporting iniciou um ciclo terrível com uma derrota que esperemos que não faça mossa na moral e na recuperação que a equipa tem produzido. Vamos acreditar que a contratação de Pedro Mendes venha reforçar o plantel e dar-lhe a solidez a meio campo para enfrentar as competições que temos para disputar.

Uma nota ainda sobre o jogo de Braga. O Sporting fez mais de 30 faltas durante a partida. Foi um dos jogos, nos últimos anos, com certeza, com mais faltas efectuadas pela equipa, o que denota bem a qualidade do plantel bracarense.

Rui Patrício - sem nada a registar. Seguro e sem responsabilidades no golo. Fez uma defesa excepcional a remate de Hugo Viana e pouco mais.

João Pereira - foi o jogo menos exuberante que o jovem lateral direito fez ao serviço do Sporting, sendo compreensível pois tinha noção dos perigos que ia enfrentar no seu corredor e sem criar a sua habitual estratégia de pressionar os adversários sempre nos limites. Acredito que nos próximos jogos João Pereira vai voltar à sua habitual exuberância.Tonel - fica marcado pelo ressalto que traiu Rui Patrício. Mas aquelas bolas, naquele espaço são para ser defendidas com determinação e não se pode virar o corpo aos remates sob pena de acontecer o que aconteceu. Mas ainda assim, não há mais erros a assinalar. Falta a Tonel muitas vezes a cabeça fria para sair a jogar com a bola pela relva e mais precisão no passe longo.

Carriço - Esteve bem. Não há nada a assinalar. Teve 2 ou 3 desarmes de grande qualidade e teve a cabeça fria para conseguir jogar nos limites sem levar o 2º amarelo durante mais de 1 hora. Vai apanhar 1 jogo de suspensão.

Grimmi - defendeu bem, não atacou tão bem e faltou-lhe precisão no passe.

Adrien - Um jogo menos conseguido, não tanto a defender, onde até não esteve mal, mas sim a sair com a bola a jogar, onde complicou muitas vezes lances simples. Não teve oportunidade de efectuar os seus passes de ruptura. Demasiado preocupado em defender.

Miguel Veloso - foi bem travado por Filipe Oliveira

João Moutinho - Continua a subir de forma e começa a justificar a titularidade. Quis muito dar outro rumo ao resultado, mas foi bem marcado. Teve momentos de grande capacidade técnica e até fantasista. Precisamos deste João Moutinho e Carvalhal agradece.

Ismailov - jogou porque é essencial à manobra ofensiva do Sporting, mas poderia ter descansado neste jogo. Foi substituído aos 53 minutos para dar lugar a Yannick. Deveria ter sido o inverso.

Saleiro - não se destacou positivamente na frente como tem vindo a fazer. Foi presa fácil para os centrais bracarences e quando tentou jogar foi sempre um pouco egoísta. Teve um excelente remate depois de um bom lance individual... mas foi só...

Liedson - teve o golo nos pés se tem rematado com mais calma depois de Eduardo não ter agarrado uma bola na área. Tentou fugir à marcação dos centrais mas Rodriguez e Moisés estiveram simplesmente perfeitos na sua marcação... e quando assim é também temos de dar mérito aos adversários.

Yannick - teve também um lance para golo, mas sabemos que Yannick é capaz do melhor e do pior de um momento para o outro. Quis rematar de primeira sem conta e medida... falhou o que poderia ter sido o golo do empate. Mas ainda assim, a sua entrada não fez mexer a equipa.

Matias - este sim fez mexer a equipa ofensivamente entrando com vontade de pegar no jogo. Teve pouco tempo para levar a melhor a sua aposta e mesmo assim obrigou Eduardo a uma grande defesa. Matias merece a titularidade. Talvez no Dragão lhe seja concedida.

Pongolle - Entrou e deu mais "corpo" à linha avançada do Sporting. A sua presença é imponente mas precisa de ganhar ritmo e automatismos com a equipa e com Liedson. Para este jogo em específico... não teria sido melhor apostar em Postiga no lugar de Saleiro?

E pronto, não se pode dizer muito mais do jogo que nos atira de vez - se é que ainda existiam dúvidas - do título, para o qual temos mesmo de começar a trabalhar já por forma a daqui a um ano não estarmos na mesma situação, a qual não terá desculpas. Segue-se agora 8 jogos com 4 deles muito importantes para as aspirações Leoninas nas outras competições.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Paulinho, atrasados mentais somos nós.



Caro Paulinho,

tenho-te como um dos Sportinguistas mais transparentes e completos de todo o nosso universo leonino. O facto de uma Besta te ter chamado "atrasado mental" faz de todos nós, sportinguistas, os verdadeiros "atrasados mentais". Pela razão simples de que, perante um facto nojento de alguém, que não deve ter respeito pela mãe quanto mais pelo próximo, trata um de nós com o tom taberneiro, da forma que pudemos ouvir nas famosas escutas, nós, os teus companheiros, consócios e amigos, metermos as mãos nos bolsos e assobiamos para o lado.

Isso faz de nós os verdadeiros atrasados mentais, que nos refugiamos num silêncio que me incomoda mais como Sportinguista do que com certeza incomodará os visados com o silêncio e desprezo de quem nos representa. Paulinho, tu, será com certeza das pessoas ligadas ao futebol a que mais ama um clube e as pessoas que para ele trabalham. Serás com certeza, dos poucos seres humanos que orbitam à volta do fenómeno fubebolístico o mais inocente e o mais dedicado elemento no cumprimento das suas funções.

Tu Amas o Sporting. Sofres com o Sporting. Choras pelo Sporting. Sonhas com o Sporting mais do que qualquer um de nós... e a defesa que te fazemos ao agredirem a tua imagem e o teu sportinguismo é com um silêncio e um "assobiar para o lado" que me incomoda e muito.

Não és tu o visado pelo taberneiro. Somos todos nós!

Até quando vamos estar apenas cegamente centrados no rival da 2ª circular, dando as costas a um teórico aliado que mais não faz do que sempre que pode nos dar uma paulada nas costas.

Ouvir as escutas que nos têm como assunto é prova clara de que não podemos dar o flanco a ninguém. O Sporting é maior que esses taberneiros todos que merecem o maior dos repudios.

Como o nosso actual Presidente também é um dos visados pelo tom jocoso do "taberneiro da Madalena", nas agora audíveis escutas - aguardo com expectativa o que irá acontecer nos próximos 2 embates com o clube presidido pelo "taberneiro da Madalena". Será que se vai sentar ao seu lado? Será que lhe vai apertar a mão? Será que vai rir com ele das incidências do jogo? Continuando com o silêncio... que visa um sector que nada tem a ver com esta contenda?

Continuará tudo na mesma... continuando nós apenas centrados no que faz e diz o nosso rival da 2ª circular, continuando a baixar as calças e dar o traseiro àquele que nos trata a todos como atrasados mentais?

Digo-vos com sinceridade. Enquanto Pinto da Costa for presidente do Futebol Clube do Porto, não terei mais respeito por aquela instituição e nem respeito por quem defende que tal personagem é um exemplo a seguir quer no FC Porto ou por outra qualquer instituição desportiva neste país.

E para todos aqueles que me vierem com a conversa de que houve violação do segredo de justiça, que houve um atentado ao "privado", que a nossa justiça é uma desgraça - e é mesmo! - e que se apure quem permitiu tal crime - a fuga das escutas para o youtube - e porque razão não publicam também as escutas de A ou B... quero é que vocês se encham de moscas, porque fazer tábua rasa do sentido e do impacto das conversas escutadas é um atentado à inteligência de qualquer atrasado mental.

Como Sportinguista repudiarei sempre, a partir de hoje, qualquer menção que esse "taberneiro da Madalena" faça ao meu clube, aos seus associados ou adeptos e a tudo o que os seus valores representam. Como Sócio do Sporting exijo por parte do meu Presidente uma acção clara e veemente que reponha no devido lugar pelo menos a imagem do nosso Paulinho. Se o próprio não se sente atingido pela verborreia do "taberneiro" é lá um problema seu, mas só demonstrará a partir deste momento 2 coisas: ou não tem tomates para enfrentar o bimbo ou acha que é dar demasiada importância a alguém que não o merece. Se for a primeira, não e homem para ocupar a presidência do Sporting. Se for a segunda, que reponha pelo menos a dignidade do nosso Paulinho, que em muitos casos, representa melhor o Sporting por esse mundo fora, do que muitos jogadores que passaram pelo Sporting nas últimas décadas.

Quero fazer um aparte ao Dr. Dias Ferreira (Dia Seguinte - SIC Notícias) e ao Rui Oliveira e Costa (Trio d´ataque - RTP N) pelo triste facto de nenhum deles, nesta 2ª e 3ª feira ter defendido a honra que o Paulinho nos merece e que, com a cega demanda pela luta contra os "lampiões" e a quem os leva ao colo, se esquecem que facilitam de mais para quem ali, nos programas, defendem os interesses dos "tripeiros", passando a ferro quem tiverem de passar, sem dó nem piedade. Andamos todos ao engano. O Benfica não é o nosso único adversário, como terão oportunidade de assistir já em Fevereiro por 2 vezes.

A terminar, Paulinho, faz juz à tua "fama" e se passares ao lado do "taberneiro da Madalena" dá-lhe um estalo à séria. Não tenhas medo, que como ele diz que és um atrasado mental, ninguém te poderá fazer nada. Pergunta ao Sá Pinto como é que elas doem que ele sabe!

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Para combater o frio aí temos um Fevereiro Escaldante!!!


Nestas coisas de sorteios até nem nos podemos queixar, pelo menos nos últimos anos. Mas, quis a sorte - ou o azar - que em Fevereiro de 2010 se concentrassem num curto espaço de 20 dias, um Braga - Sporting (para a Liga); Porto - Sporting (para Quartos de final da Taça de Portugal); Sporting - Benfica (Meias Finais Carlsberg Cup); Everton - Sporting ( para 16º Avos Liga Europa); Sporting - Everton (2ª Mão); Sporting - Porto (para a Liga).

Um mês mais escaldante~seria difícil de imaginar. Ou seja... num curto espaço de 4 semanas resolvemos toda a nossa época. Ou saímos de Fevereiro já com todas as competições resolvidas pela negativa - pois há possibilidades de o Sporting ser afastado das competições a eliminar e ficar arredado de vez da luta pelos lugares cimeiros da Liga Portuguesa - ou saimos de Fevereiro com a alma renovada e confiante.

Ora, com a vaga de frio que se abate sobre nós para este mês, não nos resta outra alternativa se não arregaçar as mangas e deitar mãos à obra com dentes cerrados e unhas afiadas. Fevereiro é uma fronteira psicológica poderosa, porque se arrasarmos a concorrência nas "finais" que temos pela frente, saímos de Fevereiro muito,mas mesmo muito fortes e prontos a efectuar uma ponta final de época fortíssima.

Para isso é necessário estarmos juntos e fortes no apoio à equipa. Sem o nosso apoio será mais difícil. Por isso, é melhor desenterrar os machados de guerra e colocar os tambores a rugir... SPORTING! SPORTING! SPORTING!

Eis o menu de Fevereiro:

29/01/2010 - 20:45 - Braga x Sporting - 17ª Jornada da Liga

02/02/2010 - 20:45 - Porto x Sporting - Quartos de final da Taça de Portugal

06/02/2010 - 19:15 - Sporting x Académica - 18ª Jornada da Liga

09/02/2010 - 20:15 - Sporting x Benfica - Meia Final da Taça da Liga

14/02/2010 - xx:xx - Paços de Ferreira x Sporting - 19ª Jornada da Liga

16/02/2010 - 18:05 - Everton x Sporting - 16 Avos da Liga Europa

21/02/2010 - xx:xx - Olhanense x Sporting - 20ª Jornada da Liga

25/02/2010 - 20:05 - Sporting x Everton - 2ª mão 16 Avos Liga Europa

28/02/2010 - xx:xx - Sporting x Porto - 21ª Jornada da Liga

Datas e Horários vão sofrer alterações mediante calendarização a negociar.

Força SPORTING. Eu Acredito.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Trofense 0 - Sporting 1 - Uma Cabeçada no Destino.


3ª Jornada da Taça da Liga

7ª vitória consecutiva. Desde 16 de Dezembro que não conhecemos outro resultado.

Liedson, numa semana, marca 3 golos, depois de uma operação ao joelho à 1 mês e está no epicentro de mais um caso que ensombrará a época, sejam os resultados quais forem. De uma coisa não haverá dúvidas: é um futebolista de excepção. O golo marcado ao Trofense confirma que, nada abala a determinação deste jogador.

Culpado ou Vítima, com ou sem razão, Liedson marca um momento actual e conturbado da história do Sporting e, quando se prepara para ser confrontado pela reacção de Sá Pinto e ao mesmo tempo julgado pela massa adepta do mundo Leonino, o Levezinho entra em campo e dá mais um golpe em quem o quer ver longe de Alvalade - principalmente os nossos adversários - marcando mais um golo decisivo que garantiu calmamente o apuramento para a 3ª meia-final consecutiva do Sporting na Carlsberg Cup.

Liedson, aos 32 anos, promete uma 2ª metade do campeonato infernal por forma a... marcar presença no Mundial de África em Junho. Esse é para mim o principal objectivo de Liedson neste momento. Jogando, marcando Golos decisivos no Sporting, vai lançá-lo em definitivo no caminho da Selecção. Contra a vontade de alguns, para felicidade de muitos.

Hoje Sá Pinto veio dar a sua versão dos factos ocorridos após o jogo contra o Mafra. Depois de lido o comunicado, que naturalmente pretende retirar parte da responsabilidade dos acontecimentos a Sá, prejudicando claramente a visão dos Sportinguistas sobre Liedson. Só que Sá Pinto, que reconhece no entanto ter ultrapassado os limites da decência, esquece-se que Liedson já é mais símbolo do Sporting do que ele próprio. Basta para isso analisar os dados estatísticos em número de jogos disputados com a camisola do Sporting e golos marcados.

Liedson, não é nenhum santo. E daí? Querem uma lista de grandes jogadores mundiais que jogaram e jogam por esse mundo que não são nem de longe nem de perto flores que se cheirem. No entanto deram e continuam a dar títulos e alegrias às suas equipas.

Até mesmo em Portugal... longa seria a lista...

Sá Pinto, acredito, terá fechado o assunto com a declaração de hoje. Liedson disse no Domingo que tudo é passado e que só quer estar concentrado na equipa.

Mas há, no seio da família leonina quem não lhe perdoe pelo facto de ter "provocado" inadvertidamente a saída de Sá e por isso vá ainda receber alguns sinais de desagrado e até de alguma hostilidade nos próximos dias. Actos de quem vive o Sporting com emoção a mais e racionalidade a menos. Os próximos 2 jogos - em Braga e nas Antas - podem enterrar de vez este triste episódio - mas não apagarão a sua triste memória - com vitórias, boa exibições e golos do... Levezinho. Assim seja.

Quanto ao jogo na Trofa, à mesma hora de um Inter - Milão (que grande jogo!) levou a um Zapping incomum cá por casa e tive de rever o jogo com calma para conseguir entender alguns apontamentos que a equipa deixou em campo. Pareceu um Sporting tranquilo, sóbrio, sério e disposto a gerir esforço, jogadores e uma vantagem clara que lhe permite ser a melhor equipa até ao momento da Carlsberg Cup. Sem grande stress, chegámos uma vez mais às meias finais da tal Taça que não interessa a ninguém mas que todos querem ganhar... nem que seja com favores de terceiros.

Matias fez uma belíssima 1ª parte e até à sua saída, demonstrou estar mais integrado e em melhor forma fisica. Miguel Veloso e João Pereira voltaram a dar um perfume de um outro Sporting, Moutinho sobe de forma e Liedson uma vez mais... eficaz. Menos efusivos: Adrien - algum cansaço - Saleiro e Pereirinha foram peças descalibradas numa máquina que parece estar perto da afinação ideal para o momento actual. Segue-se Braga para a Liga, já na sexta-feira... o tal jogo em que só a vitória "nos" interessa, mas que ao mesmo tempo vai despertar em nós sensações esquisitas. Para a meia final desta competição teremos em Alvalade ou Académica ou Benfica. Para mim qualquer um serve, sendo que, não me importava de observar de longe uma meia final entre as equipas que marcam pela negativa o momento do futebol nacional. Hoje, alguns amigos encarnados, confessavam-me que se calhar não era boa altura para eles irem ao Dragão. Só por isso, já valia a pena ver o circo pegar fogo. Nada como um bom "túnel" para dar descanso ao nosso "balneário"!

domingo, 24 de janeiro de 2010

Como será a reacção?


Carlos Carvalhal, sem esperar tem hoje mais um grande teste. Como terá recuperado a equipa depois do sucedido na passada noite de 4ª feira? Como estão a reagir os jogadores a mais uma "pancada" na moral que a equipa estava a recuperar? E como vai comportar-se Liedson sob fogo dos media e da bancada?

Um jogo que serviria hoje para consolidar o bom momento da equipa transforma-se em 2 dias num jogo de pressão desnecessária.

Ainda estou na ressaca do "murro" que levámos no estomago depois do jogo com o Mafra.

Importa, antes de mais garantir a passagem às meias finais da Taça da Liga. Para isso um empate ou a vitória chegam. Desejo que a equipa ganhe, sem sobressaltos e com uma boa exibição. A próxima semama tem de ser vivida com alguma paz. Será uma semana onde será preparada a ida a Braga e o inicio de um ciclo carregado de jogos bem mais dificieis do que os disputados em Janeiro.

Por tudo isso, peço à equipa que sacuda a pressão para trás dos ombros e parta para mais uma vitória - será a 7ª consecutiva - de forma a colocar em sentido os nossos mais directos adversários.

Se carvalhal ultrapassar mais esta tempestade, julgo que sairá ainda mais forte e não restarão dúvidas para que se colocará numa excelente posição para renovar pelo Sporting. Está (não totalmente!) nas mãos dele.

Trofense - Sporting para seguir logo, às 20:15 na SPORT TV 2.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O Lado Negro das Apostas de Risco.

Sá Pinto, foi uma aposta de risco por parte de José Eduardo Bettencourt. Sabíamos todos disso mesmo no dia em que soubemos da nomeação de Sá para o Cargo de director desportivo.

E foi uma aposta de risco que teve o lado bom de agradar a uma sector específico da bancada, na tentativa de criar um período de paz em que se pudesse repensar todo o futebol profissional do Sporting.

Mas Bettencourt, eventualmente não contou com a experiência nula de Sá num cargo de tamanha responsabilidade. Poderão dizer... "mas o Rui Costa também tinha zero experiência num cargo directivo". Sim, e viu-se no primeiro ano a soma de asneiras que cometeu - sempre branqueadas pela boa imprensa que possuí - e ainda assim teve meia dúzia de meses de preparação antes de assumir o cargo, ao qual juntou uma mão cheia de anos de experiência acumulada de observação no Milão. Tudo isso deu a Rui Costa uma vantagem que Sá não tinha.

Eu compreendo a intenção de Bettencourt, mas, não posso desculpar a falta de retaguarda que a SAD presenteou Sá Pinto. E aí esteve um erro crucial. Sá Pinto entra para o Sporting pela mão de Bettencourt, devido à sua garra, à sua paixão pelo clube e determinado a por em sentido todos aqueles que não respeitassem a instituição Sporting e todos os seus pergaminhos. A juntar a isso, Sá sempre foi um símbolo do Sporting - talvez sobre valorizado comparado com outras figuras do clube - e tinha (ainda tem?) o apoio de grande parte das claques.

Mas, Sá, nunca ninguém duvidou disso, tem um temperamento difícil. Ele próprio o admitiu por diversas vezes. Sempre pensei que ter um director desportivo como Sá Pinto iria beneficiar o Sporting na defesa dos seus interesses no jogos que disputássemos. Comentei até com alguns amigos que mais tarde ou mais cedo veríamos o Sá metido ao barulho com árbitros, delegados, adversários e até jornalistas se as coisas não corressem bem para nós - à semelhança do que tantas vezes aconteceu no período de Paulo Bento. Cheguei a comentar que se o Vuk não tivesse juízo, ia ter o Sá à perna. Mas... sempre longe de imaginar que tamanha insensatez fosse cometida pelo Sá no balneário.

Sá, acredito estará arrependido. Saberá agora que poderia ter agido de outra forma. E naturalmente, chegará à conclusão que ainda não tinha "unhas para tocar esta guitarra". Caiu em desgraça, mais rápido do que os seus adversários pessoais poderiam imaginar.

O Sporting fica com o ónus de, uma vez mais, uma medida tomada mais com o coração do que com a razão - a da nomeação de Sá para o cargo que lhe foi atribuído - ter prejudicado a evolução para um novo e desejado ciclo.

Ao Sá, não lhe vou perdoar a forma como lidou - e se "passou dos carretos" - neste processo. Mesmo que todas as versões que já foram publicadas sejam falsas, a razão nunca estará do seu lado pelo facto de, por mais razão que um cargo de chefia lhe oferecesse para tomar as medidas de repreensão que tomou, nunca, mas nunca deveria ter recorrido à violência - verbal e física - para com um seu subordinado.

Bettencourt terá obrigatoriamente de colocar a mão na consciência e admitir que cometeu uma imprudência. Se considerarmos que a decisão de convidar Sá Pinto para um cargo parecido com o de director desportivo foi um acto de boa fé de gestão, não o ter acompanhado com uma retaguarda mais sabedora nas lides de balneário, nomeando um verdadeiro director desportivo, foi um erro crasso que tinha muitas possibilidades de poder dar num acidente como este. Bettencourt, continua vítima das suas decisões e a margem de manobra é cada vez mais curta. Os erros sucedem-se e muito continua por explicar na estrutura actual do Sporting.

Passados 3 meses de tudo o que aconteceu e que determinou o fim de um ciclo, a pergunta óbvia continua sem respostas: Porque razão não existe uma renovação completa dos quadros directivos ligados ao futebol profissinal Sporting e se tem recorrido de forma sistemática ao "produto interno" para nomeações e ascenções meteóricas de quem não tem a miníma noção do que é o Universo do Futebol Profissional actual?

O exemplo claro é Salema Garção. Quem é Salema Garção? Team Manager?? Director de Comunicação?? Director Técnico??

Como? Porquê? O que fez como Team Manager para evitar um acidente como o da passada quarta feira? Quem é esta figura? O que sabe ele de futebol? O que sabe ele de lides com os jogadores? Amanhã de Carlos Carvalhal sair também vai dirigir a equipa?

Outra questão... temos um departamento de comunicação que não consegue passar uma imagem forte de um evento como o do ocorrido na Academia na passada terça feira e... não consegue estancar um "acidente" no coração do futebol do Sporting: balneário. Como é possível, um evento que ocorreu perto das 11 da noite estar nas 3 capas dos 3 desportivos nacionais??? Fora toda a informação que vem já "tim tim" por "tim tim" em tudo o é que imprensa. O que faz o Sr. Salema Garção?? Não sei...

São estes os pormenores de que José Eduardo Bettencourt tem de se debruçar rapidamente sob pena de arruinar de uma vez por todas um mandato que começou carregado de boas esperanças.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Era Inevitável.



Foi ontem já perto das 2 da manhã que recebi a notícia. Estava praticamente a entrar no sono e chegava via sms o que havia sucedido no pós jogo com o Mafra.

Não há muito para dizer neste momento, uma vez que aguardamos tranquilamente uma comunicação dos responsáveis da SAD e Clube que nos elucide sobre o sucedido.

Muito se escreve e diz sobre este "acidente" mas a verdade é que era inevitável. Uma questão de tempo.

Sá tem um temperamento explosivo. Aliás no dia em que se soube da sua nomeação para director do futebol, escrevi aqui que Sá Pinto ia dar uns murros nas portas e cacifos sempre que as coisas descarrilassem, mas daí até andar à pancada com um dos activos mais valiosos do plantel... vai uma grande distância.

A relação entre Sá Pinto e Liedson nunca foi boa. Recorde-se um célebre penalti em que Sá tirou literalmente a bola das mãos de Liedson para marcar um penalti. O azedume nunca foi ultrapassado e ontem, teve o seu epílogo. Quem tem razão? Julgo que ninguém. Aliás, sempre que violência entra numa discussão de ideias ninguém pode ter razão. Sá, passou-se naturalmente com a displicência de Rui Patrício no lance do 2º golo do Mafra. Honestamente, há algum Sportinguista que não se tenha passado? Mas, o erro faz parte do futebol. Todos erram. O próprio Sá errou muitas vezes. Tinha legitimidade para hoje dirigir algumas palavras ao grupo no sentido de a equipa não facilitar seja em que circunstâncias for.

Mas, optar por individualizar a culpa, ainda por cima para cima de um guarda redes que "salvou" as 2 últimas vitórias do Sporting na Liga com 3 excelentes defesas não é nem nunca será uma boa opção. É natural que os companheiros achassem injusta a forma compulsiva e excessiva das palavras de Sá para Rui Patrício. Foi Liedson quem se chegou à frente na defesa do grupo e do jovem guarda redes e hablitou-se a enfrentar o temperamento violento de Sá. Naqueles segundos... passou de certeza "uma coisinha má" nos olhos de Sá.

Mas, pior ainda é o facto de a frio percebermos que Sá não podia nem devia ter ultrapassado o campo técnico de Carvalhal - que, coitado, não podia de certeza estar a acreditar no que se estava a passar - que sim tinha toda a autoridade para chamar a atenção do jogador pela sua falha.

Sá, ultrapassou uma vez mais o limite e a sua mais que provável saída é inevitável e atira com o jogador para fora do clube pela porta dos fundos. Lamento, que isto tudo aconteça num jogo de "alguma descompressão" justificável dado o número de jogos e a pressão que tem estado sobre a equipa, que apanhando-se a ganhar por 4-1 tirou literalmente o pé do acelerador. Lamento, que este acidente aconteça numa altura em que todos acreditamos numa recuperação saudável da equipa, dos resultados e do ânimo dos adeptos e, 1 dia depois do evento ocorrido na Academia - a sua certificação de qualidade e tudo o que ela significa - que nos deixou a todos orgulhoso.

Ontem às 2 da manhã só me deu para rir... só pensava no masoquismo que tem invadido esta época. Achava até que me estavam a pregar uma partida, mas, a realidade está aí. Mais um caso que mancha a época do Sporting e que trará consequências que ainda não podemos vislumbrar.

Lanço algumas questões: Como vai reagir o plantel a este "acidente"? Como vai lidar Carlos Carvalhal com este momento? O que dirá José Eduardo Bettencourt? O que vai na cabeça de jogadores como Ismailov; Rui Patrício; Moutinho; Veloso; Matias... e do próprio Liedson?

Sá Pinto foi uma vez mais vítima do seu próprio temperamento, o tal que levou Paulo Bento a mantê-lo sempre longe do seu bálneario.

Segue-se mais notícias hoje durante o dia.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Sporting 4 - Mafra 3 : 6 anos sem derrotas na Taça!!

Taça de Portugal Jogo dos 8ºs de final

Foi uma noite simpática a vivida hoje em Alvalade, num jogo onde o resultado seria inquestionavelmente dourado com muitos golos, previsivelmente com maior peso para o lado do Sporting, embora num jogo de Taça, as surpresas acontecem. Mas desde o apito inicial se percebeu que dificilmente o Sporting perderia esta eliminatória.

Para já importa sublinhar um facto: o Sporting não perde um jogo para a Taça de Portugal desde Dezembro de 2003. Sempre que foi eliminado, foi através da marca de grandes penalidades. É um pálmares impressionante que importa reforçar ainda nesta época.

2º facto da noite, vai para as naturais e esperadas mexidas no 11 inicial do Sporting. Abel, Polga, Vuk, Yannick e Matias entraram no 11 inicial, relegando em primeiro para fora dos convocados Miguel Veloso e Tonel e para o banco, Postiga, Moutinho e João Pereira.

Vejamos as diferenças. O Sporting entra em campo num esquema de 4x1x3x2 que ensaiou durante vários momento no jogo a passagem para o 4x3x3, com o meio campo muito móvel com uma interessante movimentação entre Matias e Ismailov. Ora cá está a dupla que eu queria ver jogar junta e se adicionarmos o Vuk a este duo... o meio campo do Sporting passa a ser de um elevado poder criativo e imprevisível. Contra um Mafra justifica-se, até porque a trinco, Adrien chegou e sobrou para dar conta do recado. no 4x3x3, a linha da frente alargou para colocar Yannick mais sobre a direita, Saleiro em cunha com o centrais e Vuk ou Isma a caírem do lado esquerdo.

Foi um bom ensaio, mas, gostava de voltar a ver um novo ensaio com este esquema um jogo mais exigente. Abel, não teve um grande jogo. A diferença do futebol do Sporting com Abel ou com João Pereira é abismal. Abel, precisa de ganhar forma pois será preciso estar em muito melhor forma quando enfrentar-mos os ingleses do Everton - pois não podemos contar com João Pereira nos jogos da Liga Europa - o que me deixa muito, mas mesmo muito preocupado. Abel, perdeu lances, facilitou na entrada do Zahng - Chinês do Mafra - para o golo de belo efeito que o Mafra conseguiu na 1ª parte e depois no 3º golo onde se fez ao lance com o chinês de forma tão displicente que percebi no imediato que seria golo. Abel, é um caso falhado nesta época.

A história deste jogo é curta e positiva, golos, aumento de confiança, 6ª vitória consecutiva, boa gestão de plantel e presença nos 4ºs de final garantida. Sem lesões, sem ser necessário correr riscos e empregar um ritmo demasiado elevado.

O Mafra foi uma equipa simpática. Encarou o jogo olhos nos olhos, com bom toque de bola, objectividade e uma surpreendente capacidade de manter o ritmo - o seu - sempre constante e com alguns jogadores a mostrarem pormenores interessantes. Na minha opinião envergonhou algumas equipa da 1ª Liga que vêem a Alvalade a jogar com o autocarro plantado à frente da grande área. E especial destaque para o Hat Trick de Zhang. E que tal contratar este Chinês? Marcar 3 golos em Alvalade é digno de registo e um excelente prémio para uma equipa composta por semi-profissionais que terá para contar a história da noite em que um tal chinês marcou em Alvalade 3 golos.

2ª feira há sorteio da Taça e esperemos que os 4ºs de final sejam também eles disputados em Alvalade. A próxima eliminatória será a 2 ou 4 de Fevereiro e pode calhar em sorteio... o Braga, com quem jogamos no fim de semana anterior.

Destaques no Sporting para Yannick, que regressou à competição e com 1 golo. Saleiro e Carriço também marcaram - jogadores formados na Academia - Postiga, que entrou bem e aos 78 minuos cabeceou à barra, e logo a seguir rematou para uma grande defesa do guarda redes do Mafra. Postiga está com o chamado Galo. Vuk oscilou entre o bom e o mau - um dos livres marcados foi um dos maiores disparates que vi Vuk fazer em Alvalade. Polga pareceu-me um pouco deslocado do ritmo da equipa. E Matias Fernandez que encheu o campo, jogou, fez jogar, marcou o penalti, criou oportunidades de golo e coloca em sentido Carlos Carvalhal para o desenho futuro da equipa. Continuo a dizer que entre ele e Moutinho neste momento, optaria pelo chileno.

Para a história fica o resultado e aquela rosca de Rui Patrício que desmancha por completo a minha afirmação de ontem que remete o jovem para um futuro onde pode vir a ser um dos melhores em Portugal. Poder até pode, mas tem de eliminar definitivamente estas infantilidades que não lhe dão boa publicidade


De olhos postos no futuro: Academia Puma Sporting

A nossa academia foi ontem premiada com o certificado de qualidade ISO9001:2008, que lhe confere o título actual de melhor Academia de Futebol da Europa, nada que seja surpreendente e que sistematicamente é referenciada por quem vê e sabe o futebol de forma honesta e sem clubite.

Neste blog, tenho sazonalmente sublinhado a importância do trabalho efectuado por quem dá formação futebolística no nosso clube e nas condições de trabalho que estão reunidas no complexo de Alcochete.

Mas, há uma espécie de silêncio quezilento por parte dos media, que só pode ser explicado por manifesta má vontade para com o Sporting e para com o seu mérito na formação de jogadores de futebol. Ontem dei-me ao trabalho de pesquisar na imprensa o que se disse e escreveu sobre o assunto "Certificado de Qualidade" da Academia e não mais do que notas de rodapés e pequenos textos dando conta do evento e das palavras de Laurentino Dias... nada mais. Na Rádio... praticamente nenhum destaque e na TV, apenas no jornal da meia noite da RTP N houve menção e reportagem do sucedido. Referência também ligeira quer no "Dia Seguinte" - SIC Notícias, quer no "Trio de Ataque" - RTP N. Não acompanhei a TVI24 porque não tenho o canal no pacote de canais da minha operadora de Cabo.

Na Sport TV... foi mais grave... falou-se imenso nos jogos de fim de semana, principalmente no disputado na Madeira entre Marítimo e SL Benfica... e sobre a Academia... nota de rodapé.

Bom, posso criticar as opções editoriais mas tenho de as respeitar, lá terão as redacções os motivos para não dar especial atenção ao sucedido ontem. Mas, num exercício de memória curto, relembro-me das parangonas e longas reportagens efectuadas a quando da inauguração do centro de estágios do SL Benfica no Seixal. Comparando as realidades - e uma delas tem cerca de 2 anos e meio - consigo encontrar diferenças preocupantes no tratamento da notícia. Pergunto porquê? Não questiono a importância dada à inauguração do centro do estágio do SLB, que até teve direito a capas de jornal. Questiono sim, por qual a razão de tamanha indiferença da comunicação social para mais um feito do desporto Nacional, reconhecido por uma Europa Inteira, que nos coloca uma vez mais no patamar mais elevado da formação futebolística a nível Mundial. Se o facto de nos últimos 20 anos 2 dos melhores jogadores do mundo terem sido formados pelo Sporting - ainda sem academia - não for relevante... não sei o que poderá sê-lo.

Nem sequer vou falar na quantidade de jogadores que jogam em Portugal e alguns no mundo, que saíram das escolas e formação do Sporting. Simão é um Ídolo na Luz? Sim... mas foi formado em Alvalade. Varela é a revelação do Ano? Sim, mas foi formado em Alvalade e poderia ir soltando nomes até chegar ao Mário Jorge, ao Litos, ao Paulo Futre... enfim, nomes que fazem a história e o capital riquíssimo da nossa formação.

No entanto, não é aí que está o sentido da minha preocupação. Algo não está bem. A começar pelo próprio Sporting. Se não houve suficiente destaque à notícia de ontem, não só se deve às opções editoriais dos orgãos de comunicação social, como também eventualmente é prova de que o nosso departamento de comunicação não está a trabalhar como lhe é exigido. Hoje, parte dos grandes destaques das notícias relacionadas com o futebol profissional em tudo o que se passa para além das 4 linhas é também fruto do trabalho dos departamentos de comunicação dos clubes. E aí... nitidamente acho que estamos a perder para a concorrência. E lanço a questão: se por acaso esta Certificação Internacional de Qualidade fosse dada a uma hipotética Academia do Benfica, acham que seria dado o mesmo tratamento que foi dado na realidade ao evento na Academia Sporting? Acham que as capas dos 3 jornais desportivos nacionais de hoje seriam estas?

Apenas o jornal "O Jogo" faz uma chamada de destaque no topo da capa. Isto é sintomático de 2 formas: 1º o Sporting perde poder na sua força comunicacional e os editores das redacções neste momento estão-se nas tintas para o que vale ou deixa de valer a premiada Formação do Sporting.

Esta indiferença tem de ser combatida pelo Sporting, pela massa adepta e sobre tudo pelo departamento de comunicação do Sporting. É preciso conquistar mais respeito pelas entidades externas, nomeadamente orgãos de comunicação social.

O título de os melhores e maiores do mundo só pode, de acordo com alguma imprensa, ficar ligado exclusivamente a 1 clube.

A rematar, no passado Sábado Carlos Carvalhal voltou a colocar no 11 inicial 6 jogadores oriundos da Academia Sporting. Tem-no feito regularmente, seguindo uma boa tradição de Paulo Bento. Do 11 inicial, 9 eram Portugueses. Há mérito nesta realidade? Só alguém muito sectarista poderia dizer que não, no entanto... nada é referenciado semana após semana... nem o Sporting faz disso discurso na sua comunicação externa.

Quero ver quando a UEFA activar as leis futuras que obrigam os clubes a alinharem de início com um X número de jogadores formados nos seus escalões jovens, de que forma este tema será abordado.


domingo, 17 de janeiro de 2010

Sporting 3 - Nacional 2: A pré-época corre bem!

Jogo da Liga Sagres 16ª Jornada

Em 1º lugar peço desculpa pelo atraso desta crónica, mas um Domingo e um início de semana bastante preenchido limitaram o meu tempo para colocar aqui a minha visão sobre o jogo do passado Sábado. No entanto mais vale tarde que nunca e cá estão os meus apontamentos para quem quiser reflectir um pouco do que é o actual futebol praticado pelo Sporting.

Parti para o estádio confiante num bom jogo, com golos e na esperança de que a recuperação futebolística do Sporting era um dado confirmado.

Não me enganei. Foi na verdade um dos melhores jogos que vi esta época e com toda a certeza, no melhor jogo do Sporting desde Julho, mesmo contando com o da Fiorentina.

O Nacional não é uma equipa defensiva, nem tão pouco sabe jogar com base no... anti-jogo, e proporciona jogos com ritmo e de qualidade técnica acima da média. Este Nacional com Manuel Machado no Banco estaria por certo à frente do Sporting. Mas, ainda assim, é uma equipa que vai fazer mossa na liga: recebe o FC Porto na próxima jornada e receberá Braga e Benfica no decorrer da 2ª volta... sem Ruben Micael é certo, mas com uma equipa equilibrada e que com o regresso de Machado poderá novamente afirmar-se como uma das 6 melhores equipas da Liga.

No entanto, no passado Sábado, com o ambiente que se "cheirou" à entrada para o estádio, dificilmente o Sporting perderia o jogo.

Carlos Carvalhal está a crescer no Sporting. Depois das mal fadadas experiências do 4x2x3x1 nomeadamente contra o Leiria, cimentou um melhor 4x1x3x2, com evolução clara de semana para semana, de jogo para jogo, para alguns factos que à muito venho reclamando: bolas pelo ar e "charutos" para frente foram coisa que não se viu contra o Nacional. A bola rola mais colada à relva, com passes ao 1º toque e desmarcações rápidas e um aumento de passes de ruptura, que ainda não estão afinados mas que vão já dando uma clara ideia de como vai o Sporting abordar muito do seu jogo ofensivo no futuro.

Outro facto positivo é... o permanente movimento de toda a equipa, funcionando como um bloco que está em constante dinâmica ofensiva. E um melhor sentido posicional na defesa nos lances de marcação de livres cruzados para a nossa área e nos cantos.

Todos estes sintomas são evoluções claras do registo que o Sporting trouxe no último ano e meio. Existe claramente um novo Sporting, positivo, alegre, dinâmico, com pulmão e com ideias renovadas de como pode criar um novo estilo de jogo.

Ou seja... a pré época está agora a correr bem. Pré-época 2010 - 2011 leia-se! É que, eu compreendo o "recado" de Jorge Jesus no flash do passado Domingo, sobre a possível luta do Sporting pelo título e da importância que o jogo do Sporting em Braga tem nesse capítulo. Mas, sejamos honestos, 12 pontos... nem que Messi agora resolvesse vir jogar em Alvalade. É óbvio que queremos todos ganhar em Braga, aliás queremos ganhar todos os jogos... mas mesmo assim não chega para o título, quanto muito um 2º lugar... e mesmo assim será preciso, 2 adversários directos serem muito maus para se deixarem cair na tabela. No entanto, 14 jornadas e 42 pontos em disputa deixa ainda muitas possibilidades em aberto e, na minha opinião, esta 2ª volta tem guardada muito "circo" para nos fazer rir e chorar com tanta palhaçada que se adivinha.

Tenho para mim, que acusará mais o Braga a pressão do jogo com o Sporting do que ao contrário e isso, será um benefício para nós, que dos 4 primeiros classificados somos os únicos que não temos nada a perder e cada jogo deveria ser encarado como se de uma festa tratasse e sobre tudo libertar os jogadores para exibições descomplexadas e até brilhantes, livres da pressão que tantas vezes tolda a qualidade de qualquer jogador de futebol.

Daí eu encarar os próximos 4 meses como uma pré-época para o pós Mundial. Lamento não estar no topo, preferia de longe essa pressão, mas, não estando lá, e no momento em que temos esta distancia para preparar o futuro, então há que o fazer bem, pois que me lembre, nos últimos 10 anos, nunca tivemos um cenário semelhante a este, onde deitámos abaixo um ciclo e recomeçámos outro, com tempo, com um novo presidente, um novo treinador, um novo director para o futebol e 2 excelentes contratações. A juntar, uma para já "aparente" pacificação da nação leonina. Creio que temos reunidas para que esta "pré-época" seja até... bastante cativante.

Voltando ao jogo com o Nacional, tenho de me render ao Carvalhal que teve a coragem de colocar o Levezinho a jogar contra todas as expectativas e daí resultar a felicidade e muita - diria mesmo GIGANTE - competência do 31 ao marcar 2 golos sem espinhas com a sua natural assinatura: estar no momento e no local certo para marcar.

Foi na minha opinião arriscado, o próprio Liedson confessou estar preocupado na sua entrada, mas, não se encolheu e deu o mote à equipa para o que devemos fazer nas restantes 14 jornadas da Liga.

Algumas notas: Rui Patrício deu mais 2 pontos à equipa, são 4 pontos em 2 jornadas consecutivas. Postiga falha uma vez mais de forma clamorosa uma oportunidade de golo - 2 oportunidades em 2 jornadas consecutivas. Ismailov... que GRANDE jogador!!! Ele sim, é a grande contratação deste defeso. Revejam os jogos do Sporting desde a lesão do russo no Dragão na época passada até ao momento em que regressou ao 11. Mas há dúvidas que ele é o motor da equipa? Esquerda, Direita, ao centro... aquele corredor João Pereira / Ismailov, vai dar muito que escrever nos próximos jogos. E... nota final para Miguel Veloso: ainda questionam a cláusula de rescisão por 30 Milhões? Ao que se diz, parece haver um acordo para o Man City - e a confirmá-lo está a contratação de Bollati pela Fiorentina - e a ser verdade espero que o Sporting faça o devido encaixe porque deixar sair o Miguel por 10 ou 12 ou até mesmo 15 Milhões de Euros é até desprestigiante para o próprio. Miguel, que passou na época passada por momento de franca desinspiração e até mal estar - relembro a célebre viagem a Munique - colocou na cabeça que antes de ser um jogador de futebol, tem de ser um homem sério e profissional. A mudança de agente - aqui sim uma medida excelente - foi o completar de um refresh bem sucedido de um jogador que põe agora a cabeça de muitos clubes europeus a andar à roda e... julgo que até a do próprio Carlos Queiroz. Gostava de saber o que diz o meu companheiro de bancada que na época passada o tratava por "Óh Gorda" diz agora do mesmo Veloso. A terminar, o golo com o pé direito é mais um passo para um grande jogador.

5ª vitória consecutiva, mérito para Carlos Carvalhal que, encontrou um 11 base que lhe oferece garantias para os desafios que ainda nos espera esta época. Não se deixando impressionar por deixar no banco, Matias, Vuk, Polga... e provavelmente Saleiro e Postiga a curto prazo. Ou seja, temos um banco incomparavelmente muito mais forte do que alguma vez tivemos nas últimas épocas. Mas, a gestão deste banco tem de ser muito inteligente. Os próximos jogos para as Taças vão nos mostrar como mexe Carlos nesta área.

Rui Patrício - 100 jogos com a camisola do Sporting... 2 defesas que marcam uma viragem no índice de simpatia com a bancada de Alvalade. Tem hoje condições para a médio prazo vir a ser o melhor Guarda Redes nacional.

Grimmi - continua a crescer e a aproximar-se do melhor Grimmi. 3 jogos sem mácula defensiva e cada vez a integrar-se melhor nas acções ofensivas

Tonel - bolas pelo ar na zona defensiva é com ele e de alguma forma emprega um espírito de luta na defesa que marca uma outra forma de encarar lances de perigo e investidas do adversário. Não pode facilitar no passe e tem de sair a jogar com a bola pelo chão de forma mais assertiva.

Carriço - está nos 2 lances que dão golo ao Nacional. Acontece. Tem mais culpas no 1º golo onde ficou na indecisão em que jogador marcar e quando se decidiu já a bola vinha pelo ar em direcção à cabeça de Ruben.

João Pereira - lateral direito explosivo e empolgante. É a ele que Carvalhal deve para já esta onda positiva de resultados e de maior aproximação entre adeptos e equipa. Com ele, julgo que Carvalhal conquistou direito à discussão pela renovação.

Adrien - Está definido. É o trinco base do Sporting. Joga cada vez mais e melhor e os seus passes de ruptura estão quase no ponto. Quando acertar... vai ser sempre jogada para golo. A defender, está mais confiante, menos faltoso e mais raçudo. Mas, não pode dormir no pedaço. Aquele lugar é mesmo exigente e precisa de um jogador sempre na máxima força.

Moutinho - Melhor que nos jogos anteriores e mais inspirado. Mas, ainda está longe de um Moutinho que é de caras titular. Em determinados momentos do jogo, fez pensar que Matias poderia ser mais produtivo no seu lugar.

Veloso - Simplesmente perfeito. A defender, a atacar, com bons passes, boas soluções e mais um golo. Está a caminhar para uma grande época.

Ismailov - já o disse atrás, com ele o Sporting é uma equipa melhor em todos os sentidos e chega por momentos a roçar a perfeição quando entra com João Pereira em triangulações mortíferas. Gostava de o ver jogar mais tempo com Matias Fernandez. Anda à procura do golo e tem a pontaria quase afinada. Num destes dias vão ver um grande golo com a sua assinatura.

Saleiro - não marca, mas mói. Tem um pulmão impressionante. Precisa de voltar a fazer um golo para crescer ainda mais nesta equipa e baralhar as ideias de Carvalhal para a dupla atacante.

Postiga - continua sem marcar. É um caso inexplicável, que só o próprio pode ultrapassar. Ou marca nos 2 próximos jogos ou perde a titularidade. Joga bem, boa visão de jogo - é dele a recuperação de bola que dá o golo de Veloso - batalha e até cria espaços dentro da área, mas cada vez pesa mas a seus ombros o factor "espanta golos". Carvalhal vai ter de trabalhar este Postiga.

Vukcevic - entra numa altura em que o Sporting faz tudo bem. Quando assim acontece, não se dá por ele. Gosta de ser protagonista. Não teve bola e não cobriu o jogo que Ismailov estava a fazer. Também era difícil.

Matias - tem um perfume de futebol único nesta equipa. Entra e provoca o caos na defesa adversária. Mas falta ritmo e quando entra a equipa está já na fase descendente fisicamente o que lhe dificulta o entrosamento. Entra sempre a 180, quando a equipa já só joga a 100. Merece regressar já ao 11 nos 2 próximos jogos e ver se ganha enquadramento e confiança para entrar no 11 em Braga. No lugar de quem?? Bom, deixo essa dor de cabeça para o treinador.

Liedson - 3 minutos em campo e... golo. É um ponta de lança único no futebol português. Já muito se disse e escreveu sobre o Levezinho desde Sábado à noite, mas há uma abordagem que ainda ninguém fez. O homem tem 32 anos, faz uma cirurgia ao joelho, e 2o e poucos dias depois... entra no jogo como se de um míudo tratasse. O homem, está de olhos postos no Mundial e espero que a correcção proporcionada pela cirurgia lhe tenha dado "gás" para um 2010 em grande.

No fim, quero dizer que o nosso piso lá vai ganhando consistência e com tendência a melhorar, ainda assim a área do topo sul está lastimável. O público saiu claramente satisfeito de Alvalade e começa a acreditar que temos Treinador e Equipa. E nitidamente uma vitória em Braga coloca em definitivo o Sporting no rumo que se pretende para 2010 e 2011, valha o que valer ainda na edição desta Liga.

Nota final para os sublinhados da comunicação social para os aplausos ao Ruben Micael... como se em Alvalade nunca se aplaudissem os bons jogadores. Ruben é de facto um jogador acima da média e tem talento e margem de progressão para se tornar numa referência no FC Porto. Escolheu o Porto desde muito cedo. Uma opção a respeitar. Só tenho pena é que quando ele vier a Alvalade daqui a 1 mês com a camisola do Porto e se for substituído e as bancadas de Alvalade o voltarem a aplaudirem - desde que nada de anormal aconteça para o contrário - não o voltem a mencionar.

Não tenham dúvidas... como adeptos somos mesmo diferentes e para melhor.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Sem margem para errar.


Daqui a alguns minutos vou sair rumo a Alvalade para assistir a mais um jogo da Liga Sagres. A esperança reside só num resultado: A Vitória.

Não preciso de sublinhar aqui o quanto é importante esta vitória de hoje diante o Nacional, com quem - infelizmente - disputamos o 4º lugar.


Mas, em cima da vitória, quero assistir a um bom jogo de futebol e sei que o Nacional proporcionará em Alvalade um futebol mais evoluído do que o Leixões na semana passada.


O Nacional, sempre nos ofereceu muitas dificuldades em casa. Aliás, temos sido surpreendidos até com alguns resultados inusitados como um célebre 2-4 em 2005 na última jornada do campeonato desse ano, onde em 8 dias, perdemos o campeonato, a Taça UEFA e a ida à Champions. Essa foi sem dúvida a pior semana que vivi como Sportinguista - porque ainda por cima, saí de Alvalade desse jogo e encontro uma festa "Lampiã" nas ruas.


Bom... mas esse passado, ainda que relembrado de quando em vez, está definitivamente enterrado. Interessa é a noite de hoje, onde teremos um Sporting moralizado e à procura da 5ª vitória consecutiva, o que a acontecer, nos dará alento para a 2ª volta do campeonato.


Carlos Carvalhal chamou 22 jogadores, incluindo Liedson, que apesar de estar recuperado e apto, não deverá entrar no 11 inicial, nem sequer sentar-se no banco, o que acho bem, dado o piso em Alvalade não estar hoje nas melhores condições para alguém que foi operado à menos de 1 mês ao joelho.


O Sporting, na minha opinião deveria entrar com o seguinte 11: Rui Patrício; Miguel Veloso, Tonel & Carriço, João Pereira; Adrien; Vukceviv; Matias e Ismailov; Carlos Saleiro e Yannick.


Ok, sei que vou ser contestado por não colocar no 11 inicial João Moutinho... mas na minha opinião, o capitão deveria descansar hoje e entrar a meio da 2ª parte para o lugar de Yannick, avançando Vuckcevic para o lado de Saleiro. O resto seria tomado em conta dadas as incidências do jogo.


Mas julgo que Carlos Carvalhal não quererá fazer hoje uma revolução no 11 e muito menos arriscar colocar o capitão no banco. Assim, deverá ser Vukcevic ou Matias Fernandes a começar o jogo no banco.


Terá de ser um jogo de paciência e de muitas cautelas, pois Nacional tem neste momento um dos melhores centro campistas da Liga - Ruben Michael - a quem teremos de ter especial atenção, principalmente não dando espaço para remates de meia distância.


O relvado hoje deverá estar com o piso mole e solto, o que não proporcionará um jogo de grandes feitos técnicos, mas será um jogo sem chuva, o que me parece bem... estou farto de chuva!!!


Bom, lançados aqui os meus pensamentos sobre o jogo, espero encontrar um estádio com uma boa casa e com todos a puxar pela equipa. Vou estar de olho em Ruben Michael e ver se realmente faz sentido estarmos a pensar pagar 5 Milhões de Euros pelo jogador.


Saudações Leoninas e logo só a vitória nos pode fazer sorrir.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

União de Leiria 1 - Sporting 2: 4ª vitória consecutiva!


Taça da Liga - 2ª jornada Grupo B

2010, traz para já ao Sporting em menos de 15 dias, 3 jogos e 3 vitórias. Se adicionarmos o jogo da Naval - o último de 2009 - e a sua vitória, atingimos a 4ª vitória consecutiva.

É preciso ir até 24 de Abril de 2009!!! para encontrar uma série de 4 jogos seguidos a vencer. Foram 4 jogos para a Liga Sagres disputados entre 5 e 24 de Abril. Passaram quase 8 meses para testemunhar uma nova série de 4 jogos com vitórias consecutivas. E isto, caros amigos, é preocupante. Esperamos no Sábado uma nova vitória para enterrar-mos de vez o ciclo negro que parece finalmente estar a chegar ao fim.

Sobre o jogo de hoje não há muito a dizer. O Sporting entrou bem, com ritmo elevado, espírito combativo e uma enorme entre ajuda entre jogadores e sectores. Carlos Carvalhal volta a colocar a equipa no terreno disposta num 4x1x3x2, com registo para entrada de Miguel Veloso para o 11 inicial para o lugar de Vukcevic.

João Pereira estreia-se a marcar logo no 2º jogo e ainda por cima... de cabeça. A equipa parece finalmente acreditar nas suas potencialidades e imprime ao jogo uma maior sentimento de confiança. Dos 3 grandes, o Sporting foi o único a não poupar o actual 11 base, o que na minha opinião, me parece bem, uma vez que é preciso ganhar ritmo competitivo nesta nova estrutura de jogo.

O terreno de jogo esteve terrível, o vento soprou muito forte - com o momento caricato de ver os painéis de publicidade voarem literalmente para o centro do terreno e só por sorte não terem acertado num jogador - mas a equipa manteve a sua nova matriz de jogo intacta e quis nitidamente resolver o jogo cedo. Os 2 golos, de João Pereira e Miguel Veloso, foram marcados numa primeira parte bem conseguida do Sporting. Na segunda parte, nitidamente senti que a equipa quis gerir o jogo e o esforço, o que levou a uma União de Leiria a jogar bom futebol e a reduzir numa jogada que não pode voltar a acontecer.

Uma nota que quero deixar registada e que tem pouco de positivo para mim é o "choradinho" de Carlos Carvalhal sobre o calendário de competições nacional. Ora, Carvalhal queixa-se dos poucos dias de descanso entre cada jogo do Sporting no mês de Janeiro. Não concordo. Aliás, se compararmos o nosso calendários com os calendários de competições de Inglaterra, Espanha, Alemanha e Itália, o nosso é uma brincadeira de crianças. Mais ainda, Carvalhal só tem que aproveitar estes jogos para colocar a equipa a jogar na plenitude das suas capacidades, pois se queremos ainda ganhar alguma competição, teremos de estar em Fevereiro e Março muito bem afinados. Por isso, caro Mister, deixe-se de choradinhos e aproveita esta "benção" de jogos consecutivos para mostrar que tem garras para segurar o lugar. 70 horas chegam e sobram para recuperar a forma física.

O Nacional será o próximo adversário e uma vitória colocará o Sporting num novo registo positivo a todos os níveis. Apostar em Matias Fernandes no lugar de Moutinho, recuar Veloso para defesa esquerdo e dar entrada a Vuk para o lugar de Grimmi e... porque não, Yannick no lugar de Postiga, poderão ser os retoques para que se possa enfrentar o Nacional com algum poder de choque e rapidez de jogo. Quanto mais depressa o Sporting resolver o jogo, mais tempo sobrará para gerir esforço e o jogo.

Concordo com vários adeptos leoninos que contestam as substituições em tempo de descontos, principalmente com um activo que nos custou quase 4 Milhões de Euros - Matias Fernandez - e isso não se faz com um jogador da qualidade do chileno. Ismailov no jogo de hoje durou 70 minutos... não teria sido melhor substituí-lo pelo chileno nessa altura? Ou estará o treinador leonino a querer poupar o 10 para os meses complicados de Fevereiro e Março?

Vamos ver. Quanto à Taça da Liga, estamos praticamente nas meias finais - vamos jogar à Trofa de hoje a 8 dias e basta 1 ponto - o que nos remete no caminho para mais uma meia final na Taça da Liga.

As vitórias dão ânimo, confiança e alento para os próximos jogos. E vão 4... é agora o momento de irmos à procura da 5ª vitória. Alvalade é para encher no próximo Sábado.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

A melhor contratação deste Inverno.



Ismailov. A recusa da proposta oferecida pelo Lokomotiv foi na minha opinião mais um acto de boa gestão da SAD. Isma vale muito mais do que 5 Milhões de Euros. Com contrato até 2013, é um atleta exemplar em todos os aspectos e um jogador que , quando está no pleno da sua forma é fabuloso.

Não é um "artolas" brinca na areia, não é exuberante na sua forma de estar no campo e no tratamento da bola. Mas, é um trabalhador incansável e dos melhores a desenvolver lances ofensivos nos jogos em que não há espaços. Um pulmão resistente, rápido e um remate forte são as mais valias que complementam o que para mim Ismailov tem de melhor: passe e desmarcação, recepção e novo passe, sempre ao primeiro toque e quando se dá por ele já está no interior da área adversária pronto a rematar à baliza.

Com João Pereira, fará certamente uma grande dupla no corredor direito, embora, eu tenha observado que Carlos Carvalhal lhe dá toda a liberdade para percorrer o meio campo, ao contrário de Paulo Bento que o amarrava constantemente ao corredores laterais.

Não será necessário estar com mais descrições sobre a qualidade do russo, será sim importante que, este é mais um excelente acto administrativo e estratégico do defeso de Inverno.

Num ano que passou, onde passámos tanto tempo a criticar as péssimas medidas tomadas pela SAD, importa também ressalvar as boas medidas e decisões que têm sido tomadas neste novo ciclo. Fica também a nota de rodapé de que, se os russos do Lokomotiv quiserem, levam mesmo Ismailov... pagando a cláusula de rescisão, batendo em dinheiro o valor estimado em contrato. Basta, quererem.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Sporting 1 - Leixões 0: Nitidas Melhorias.



Jogo da 15ª jornada da Liga Sagres

Tal como se previa o frio marcou mesmo presença no final de tarde ontem em Alvalade.

Perto de 25 Mil Espectadores, aqueceram no entanto o ambiente de Inverno que vai marcando a temporada no calendário. Aqueceram, porque foram aquecidos por aquela que pode ser considerada a melhor exibição da época com Carlos Carvalhal e só superada pela noite em que recebemos a Fiorentina em Alvalade a contar para a 3ª pré eliminatória da Liga dos Campeões.

Ontem, finalmente vimos um rasgo mais sério e determinado de competividade, bom futebol e objectividade na equipa. Por força da lesão de Liedson e do castigo de Miguel Veloso, Carvalhal lança o jogo com a continuidade da dupla atacante Saleiro & Postiga e dá o mote para o novo ano com a medida exigida pela massa adepta - a entrada de João Pereira no 11 inicial, relegando o desastroso Abel para o banco. Nota ainda para a contínua aposta na dupla de centrais Carriço & Tonel.

Mas, na verdade, foi um Sporting nitidamente melhor, aquele que vimos evoluir durante os 90 minutos do jogo em Alvalade. O Sporting entrou em campo disposto num claro 4x1x3x2 - diferente do losângulo Paulo Bento - com João Pereira no lado direito, Tonel & Carriço ao centro da defesa e Grimmi no lado esquerdo. A linha defensiva deu sinais claros de que finalmente tem objectivos no lançamento do ataque. João Pereira transforma por completo a anorexia atacante pelo corredor direito dando-lhe profundidade e objectividade. Finalmente temos um lateral direito que percorre com sabedoria e agressividade o corredor direito. No lado esquerdo Grimmi sente-se mais confiante e tenta também dar profundidade ao lado esquerdo e ontem conseguiu por diversas vezes envolver-se nos movimentos ofensivos com Vukcevic. A trinco Adrien que está de jogo para jogo mais patrão da zona intermediaria defensiva do Sporting e para mim evoluiu e muito a sua qualidade de passe, principalmente no passe longo. Adrien, é naminha opinião, desde a entrada de Carvalhal, o jogador que mais ganhou com a mudança de treinador. Está um "senhor" trinco e será difícil justificar a sua saída do 11 inicial.

O meio campo trouxe Moutinho mais posicionado ao centro do terreno, Vuk encostado à linha esquerda e Ismailov no lado direito. Este meio campo carburou bem. Muito bem até, em certos períodos do jogo, com Vukcevic e Ismailov a trocarem de corredor bastantes vezes e a entrarem na área por diversas vezes em situação para fazer golo. Mas, a nítida melhoria que o futebol ontem praticado trouxe, foi claramente a utilização dos corredores laterais até à linha de fundo, quer do lado esquerdo, quer do lado direito, muito por força do sentido ofensivo que João Pereira e Grimmi imprimiram aos lances ofensivos. Foi bom, voltar a ver o Sporting a jogar em todo o terreno com uma equipa solta de posições forçadas e que dão uma nova alegria e um novo ritmo de jogo ao Sporting.

Na frente, Saleiro e Postiga, tentaram marcar presença no centro da área - mais Saleiro que Postiga - fugindo constantemente às marcações apertadas dos 3 centrais do Leixões. Postiga, falha um passe de morte para Saleiro logo no inicio do jogo e depois, falha um cabeceamento para golo claro, depois de um centro espetacular de Vukcevic na esquerda. E aqui se centra a diferença entre os grandes Pontas de Lança. Um grande ponta de lança dificilmente falharia aquele golo. Postiga falhou e fica ali bem visível, a razão pela qual Postiga nunca se impôs como um dos maiores avançados da Europa.

Em suma, gostei do que vi e fiquei com mais esperança num 2010 bem melhor que o ano anterior. Carvalhal, após dificuldades iniciais e algumas experiências falhadas está a colocar o Sporting a jogar mais à sua imagem, ou seja, equipas que gostam de jogar a todo o terreno, com sentido ofensivo permanente e que criam acima da média lances perigosos e oportunidades de golo. Não quero estar a exagerar, mas, sem me socorrer das estatísticas, o Sporting, contra Naval, Braga e agora Leixões, criou mais oportunidades de golo do que em todos os jogos até à Naval -e conto com a pré época.

Quanto ao Leixões, José Mota, sabe como irritar os adeptos em Alvalade. Jogo paciente, bastante defensivo, com uma ou duas unidades no máximo envolvidas em lances ofensivos. Depois, a eterna questão do anti-jogo. São muitos os minutos queimados pelas equipas de José Mota em Alvalade. Lançamentos da linha lateral, pontapés de baliza, jogadores que caem no chão por dá cá aquela palha... e assim vão levando a água ao seu moinho, até que há um golo do Sporting e o Leixões começa a jogar à bola. É pena ser só aos 84 minutos de jogo. Bom, fica para memória futura que o Sporting fechará o campeonato exactamente em Matosinhos contra o Leixões num jogo que pode implicar a descida ou não do Leixões. Pelo sim, pelo não, é melhor termos a nossa vida resolvida antes da última jornada.

Rui Patrício - ontem fez 2 defesas extra ordinárias. A primeira, no primeiro remate do Leixões, opr Seabra - bons pés deste míudo do Leixões - à baliza no jogo e depois já em cima dos 90 minutos a um mau alívio de Pongolle que o obrigou simplesmente a "quebrar" os rins para a defesa da noite. Mais uma vez... Rui tem potencial para ser um dos grandes. Sem a sombra do Sérvio, como já referi antes, tem obrigatoriamente que se preocupar com uma coisa - provar que é mesmo dono das redes do Sporting. Nota positiva para uma evolução na reposição de bola. Mais rápida e concisa.

João Pereira - para mim, o homem do jogo, por tudo o que sempre escrevi aqui esta época de Abel e Pedro Silva. João Pereira é um jogador que vai conquistar rapidamente as bancadas em Alvalade e estará ligado à revolução do Sporting em 2010. Com ele, podemos sonhar mais alto, sem dúvida. Quero ver daqui a 3, 4 jogos no máximo, se não vai provar que tem lugar no 11 da selecção nacional.

Tonel - seria o homem do jogo, não fosse, para mim, a excelente entrada de João Pereira. Tonel, depois da sua travessia no deserto, chega novamente ao 11 do Sporting e marca o seu primeiro golo esta época precisamente num lance onde o Sporting tem sido uma nulidade absoluta. Eu tenho batido imenso nesta tecla ao longo dos jogos de que o Sporting tem zero participação ofensiva dos seus centrais e é preciso recuar até a 1 golo de Carriço de bola parada contra o Olhanense para ver o quanto inoperantes temos sido com os centrais em lances ofensivos ao longo destas longas jornadas. Tonel, marcou o golo da vitória. Merece todos os aplausos e todas as menções a quem perguntar se merece ou não estar o lugar de Polga.

Carriço - jogo limpo. Sem mácula a apontar e com registo de provar jogo a jogo que é capaz de sair a jogar com a bola nos pés e provocar desiquilibrios na defesa contrária. A sua concentração e calma ao longo dos 90 minutos fazem dele um senhor central.

Grimmi - foi dos que menos evoluiu desde o jogo com o Braga. Mas, com pouco trabalho defensivo, foi dando a Vuk um auxílio precioso nos movimentos ofensivos no corredor esquerdo. Teve um remate à baliza de primeira que, se acerta... era um grande golo.

Adrien - Já o disse, foi para mim, com Carlos Carvalhal o jogador que mais evoluiu. É um verdadeiro trinco. E ao que me parece, o único de raiz em Alvalade. Veloso poderá sempre fazer outras posições, Moutinho, terá sempre vocações ofensivas. Adrien é o numero 6 perfeito. Enche o meio campo defensivo do Sporting e tem cada vez mais confiança no momento do passe.

Moutinho - pareceu-me ontem o jogador com menos ritmo no 11 inicial. Está uns furos abaixo do que lhe conhecemos. Complica e mastiga um pouco o jogo no meio campo ofensivo. Recuou para trinco com a saída de Adrien. Na minha opinião teria ele o homem a sair para a entrada de Matias Fernandez. Eu, no lugar de Carvalhal, ponderava uns jogos de descanso para Moutinho...

Ismailov - num momento em que tanto se fala - não sei bem porque razão - da tal proposta de Moscovo, para a compra do seu passe, Ismailov, parece estar já perto da forma que lhe conhecemos. Jogou, fez jogar, com mais pulmão e mais velocidade. Teve 3 oportunidades de golo, bem defendidas pelo guarda redes adversário, e rematou - ainda que sem pontaria - à baliza adversária. Está já na linha dos melhores reforços deste Inverno e dá razão a quem - como eu - suspirou com a sua ausência durante tantos meses.

Vukcevick - Depois de praticamente 1 mês sem pisar o terreno de jogo, entrou ontem com vontade de mostrar serviço e conseguiu. Correu muito, teve alguns pormenores técnicos preciosos, fez jogar e ainda teve tempo para colocar à prova por 2 vezes os reflexos de Diego. Parece mais solto e mais inspirado e com melhor forma física. A equipa cresce com o montenegrino em forma. Vai fazer mossa ainda esta época em alguns adversários.

Saleiro - Faltou-lhe o golo. Jogou da mesma forma que o havia feitos nos 3 jogos anteriores que fez como titular. Tem de percorrer o seu caminho e manter concentração. Tem de aumentar o poder de choque, principalmente em lances disputados nas alturas.

Postiga - Pois... também lhe faltou o golo, mas a ele já lhe falta à muitos jogos. Azar? Falta de confiança? Azelhice? Postiga vale o que vale, que é muito quando marca... nada quando falha golos como o de ontem após cruzamento - tenso é certo - de Vukcevic. A baliza estava ali! Disponível. Perderá a meu ver a titularidade para Pongolle dentro em breve.

Sinama Pongolle - teve ontem também a sua oportunidade de se estrear, libertando-se assim da pressão da estreia. Entrou e teve alguns sublinhados positivos, mas ainda desenquadrado da realidade do Sporting e do futebol português. Será nitidamente um reforço daqui a 1 mês. Mesmo assim, ia marcando um golo em cada baliza. Valeu-lhe 2 guardas redes em noite inspirada - Diego e Rui Patrício. Fiquei a pensar... e se ele faz aquele auto-golo?

Matias - devia ter entrado mais cedo e para o lugar de Moutinho. Matias está mais rápido e mais acutilante a desembaraçar-se dos adversários. Depois de 1 mês também ele parado, regressou com mais "ganas" e entrará para o 11 rapidamente. Para o lugar de quem? Na minha opinião, para o lugar de Moutinho.

Pereirinha - Praticamente não tocou na bola, mas, fiquei com a curiosidade de ver funcionar o corredor direito com João Pereira e Pereirinha...

Carvalhal, parece-me mais confiante e também mais conhecedor da matéria que tem à sua disposição. parece ter razão quando diz que o plantel está muito mais competitivo. E se olharmos para o banco, ontem tínhamos: Polga; Matias; Pongolle; Yannick; Pereirinha e... Abel (conta?) e de fora, simplesmente Miguel Veloso e Liedson, que só pode ter ficado satisfeito ao assistir em Alvalade à evolução da equipa.

Este mês temos ainda muitos jogos pela frente. O próximo, já quarta feira contra o Leiria e depois o Nacional em Alvalade, no próximo Sábado ás 21:15 para a 16ª jornada da Liga. Ou seja, bastantes oportunidades para Carvalhal afinar a equipa em direcção a uma 2ª metade da época mais brilhante do que a 1ª. Cá estaremos para confirmar. Para já nota positiva no rescaldo deste encontro. Confirma-se: há nítidas melhorias em Alvalade.