domingo, 29 de novembro de 2009

Sporting 0 - Benfica 0 - Empate amargo mas justo.


Ontem ao sair de Alvalade fiquei com uma certeza: nem nós somos assim tão maus nem o Benfica é assim tão bom como o pintam. O empate a zero é um resultado amargo, mas justo.

No entanto posso dizer que para memória futura fica a excelente atitude da equipa. Muito mais combativa, pressionante e solidária. Estas são as ilações mais cruas que se podem retirar do 2º jogo do Sporting comandado por Carlos Carvalhal.

Logicamente, a disposição táctica em campo também foi diferente. Para melhor? Julgo que sim, mas ainda assim, pouco esclarecida. Fruto óbvio dos poucos dias de trabalho do novo treinador à frente da equipa. No entanto, foi fácil observar um meio campo mais compacto, mais criativo, mais agressivo e com missões entregues aos médios bem definidas. Há um senão... Liedson esteve demasiadas vezes sozinho. Isso, deixa-me preocupado, pois não imagino um Sporting a jogar apenas com um homem na frente quando se bate com um Benfica, um Porto ou até um Braga. Não vi um claro 4x3x3. Vi um 4x2x3x1 onde me parece muito bem visto a inclusão de Adrien ao lado de Miguel Veloso, libertando-se este mais amíude nas acções ofensivas onde, entrega à construção ofensiva uma qualidade de jogo que tem andado arredada do futebol do Sporting. Miguel Veloso tem nos pés o momento e a melhor oportunidade do jogo com um remate portentoso a 40 metros da baliza, com a bola a descrever um efeito fantástico ao ângulo superior esquerdo da baliza encarnada, correspondido com uma fabulosa defesa de Quim. Foi para mim o momento do jogo.

João Moutinho à frente dos 2 trincos, trocou várias vezes com Veloso. Quando o trinco subia mais no terreno, Moutinho ficava ao lado de Adrien e de olhos postos em Aimar. Vuckcevic, apareceu na primeira parte no lado direito do meio campo,várias vezes encostado à linha, mas não deu profundidade ao ataque, optando quase sempre por levar a bola para o meio onde invariavelmente chocou com Xavi Garcia. Teve 1 remate para defesa fácil de Quim e não atingiu ainda os níveis competitivos a que nos habituou em épocas anteriores.

Matias Fernandez continua a crescer de jogo para jogo, embora ontem não tenha tido uma única oportunidade apontada à baliza de Quim. Um jogador imprevisível, com um excelente drible e que num curto espaço de terreno consegue sempre resolver bem. É um jogador nitidamente mais perto do ritmo do futebol nacional e que poderá desempenhar neste esquema de Carvalhal um papel preponderante no sistema ofensivo do Sporting. Ontem, na maioria das vezes só foi travado em falta.

Na defesa, sentiu-se uma maior preocupação em existir mais e melhor comunicação. Rui Patrício esteve seguro e muito concentrado. Continua a apresentar algumas deficiências na reposição da bola em jogo. Mas, ainda assim, confirma que continua a ser uma boa aposta na defesa das nossas redes. Caneira julgo que será a melhor opção para o lado esquerdo da defesa. Experiência, aliada ao sempre bom posicionamento do defesa, podem dar a Carvalhal a possibilidade de equilibrar a defesa. Nas opções de Carvalhal fica sempre a possibilidade de em qualquer momento do jogo passar a jogar com 3 centrais. Carriço esteve bem e Polga fez para mim o melhor jogo desta época. Vamos ver se voltamos a ter o melhor Polga novamente ao serviço do Sporting. Na direita da defesa está para mim o maior problema do Sporting. Nem Abel - em má forma - nem Pedro Silva - muito desastrado - têm lugar no 11 do Sporting. É altura de Carvalhal olhar para Pereirinha e finalmente dar-lhe a titularidade naquela posição. Eu sei que vamos baixar a média de altura da defesa, mas ganhámos em agressividade e em rapidez na transição para o ataque. Esta é para mim a alteração que o treinador deveria fazer a curto prazo.

Deixei para o fim Liedson. Para mim, o melhor jogador do Sporting no jogo de ontem. Pelo que correu, lutou e com a particularidade de ontem - infelizmente - ter jogado praticamente 80 minutos demasiado isolado na frente. Teve um belíssimo pormenor no início do jogo, onde com 3 toques na bola tira 2 defesas encarnados do caminho e remata para uma belíssima defesa de Quim. Liedson, não pode jogar na frente sozinho, tem de ter pelo menos 1 outro companheiro e no caso de ontem talvez apostasse na subida mais intencional de Vuk em vez de o enviar para as laterias - ora direita e depois à esquerda. Em contra ponto, David Luís foi na equipa encarnada o melhor jogador - na minha opinião - enchendo a defesa que pareceu permeável nas laterais, principalmente à esquerda, algo que o Sporting não soube insistir mais assertivamente.

Para a história deste jogo fica o empate, com sabor amargo, mas a estrondosa ovação no final do jogo, mostrando a massa associativa contentamento por voltar a ver de novo uma equipa com atitude e empenhada em dar o tudo por tudo pela vitória.

Temos Sporting? Ainda é cedo para tirar conclusões. A equipa dá sinais de recuperar psicologicamente e nitidamente mostrou ter mais pulmão na parte final do que o adversário. Tecnicamente, tenho de dar razão ao Jorge Jesus. Com aquele relvado é muito difícil fazer melhor e... ele tem razão quando diz que o Sporting contra equipas que jogam à defesa, onde precisa de jogar rápido, com a bola pelo chão, sentirá enormes dificuldades para jogar bem, rápido e bonito. Tacticamente, creio que Carvalhal, jogou para não perder em primeiro lugar apostando num jogo seguro e sem grandes truques. Mas, terá pela frente que definir um sistema base que proporcione automatismos e fio do jogo e nesse sentido, não poderá queimar muito tempo à procura da "pedra filosofal" sob pena de deixar o pelotão da frente distanciar-se ainda mais.

Jesus atirou com alguma azia no flash interview que com este resultado o Sporting tinha dito adeus ao título. Bom, afirmar isso à 11ª jornada... é na minha perspectiva uma patetice. Só uma azia muito agressiva é que o pode ter levado a dizer o que disse, talvez querendo com isso fugir à explicação que teria de dar por no último mês o Benfica estar a demonstrar uma nítida quebra de forma e ao mesmo tempo ver jogadores como Aimar, Di Maria, Saviola e Xavi a baixarem de forma e com enormes dificuldades em concretizar depois da goleadora entrada no campeonato. Parece-me que o Benfica começa a pagar a factura física da forma como encarou o inicio do campeonato.

Uma curiosidade... O Sporting no 11 inicial jogou com 3 jogadores estrangeiros e dos 8 portugueses 6 pertencem à "cantera" Leonina. O Benfica jogou com 9 estrangeiros e 2 portugueses.

Outra curiosidade... o Sporting é a equipa nesta fase da Liga que não perde à mais jornadas e dos 3 grandes é a equipa que menos derrotas tem em jogos oficiais. Vale o que vale, mas não deixa de ter a sua piada.

A terminar uma menção honrosa aos 50 mil que estiveram em Alvalade - onde tive a particularidade de ver o jogo rodeado de bastantes benfiquistas - que proporcionaram um grande espectáculo nas bancadas e dar os meus parabéns à Juve Leo pela magnifica surpresa que prepararam para o início do jogo.

Foi o primeiro derby da época. Teremos com certeza mais alguns para colocarmos as galinhas as piar fininho.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Finalmente o Pavilhão em Alvalade!!!


Termina um dos processos mais penosos da história recente do Sporting. Fez-se justiça - ainda que incompleta - mostrando a razão estar do lado no Sporting. Vamos, finalmente, ter um Pavilhão Gimno Desportivo em Alvalade, com o protocolo assinado entre a Câmara Municipal de Lisboa e o Sporting Clube de Portugal.

Deste protocolo, aprovado ontem, onde está confirmado o pagamento de 18 Milhões de Euros, mais a cedência de edifícios para reabilitação e a tão desejada autorização para a construção do novo edifício desportivo no terreno do antigo Estádio José Alvalade.

São notícias que me deixam feliz. As modalidades gimno desportivas voltam a casa, o que para um clube que defende tão acerrimamente o ecletismo, e que praticamente anda com a casa às costas à uma década, é de uma importância absolutamente suprema.

E o que nos reserva o futuro com este passo dado? Em primeiro lugar o lançamento do projecto arquitectónico do Edifício, a recuperação paisagistica e qualificação de espaço que toda a área do antigo estádio terá de receber. Depois, a dotação de todas as estruturas essenciais ao desenvolvimento e práticas das modalidades existentes e as que devem ser recuperadas e por fim, um plano de rentabilização financeira que auto sustente todo o projecto quer na sua construção, quer na sua manutenção. Há muito a fazer. Desejo que nada seja deixado ao acaso.

Mas - é lixado mas há sempre um mas - pede-se toda a atenção dos sócios do Sporting para alguns factores adjacentes a este processo. Alguns - que eu apelido de Ratos de Corredor - nomes que pairam na estrutura do clube, defendendo interesses de terceiros, que nada têm a ver com o dia a dia do clube, estão à espreita de tirar no imediato vantagens... financeiras principalmente.

Teremos, todos de estar atentos ao seguinte: quem vai construir? Quanto custa? Porque foi escolhido o construtor? Serão públicos os vários orçamentos apresentados? Irão votar os sócios na melhor das propostas? Serão apresentadas publicamente todas as propostas existentes? Quem vai dirigir todo o processo - do projecto à finalização da sua construção? Que comissão será constituída para controle de custos e supervisão de construção?

Estes são só alguns dos muitos pontos que têm obrigatoriamente ser transparentes para a nação Sportinguista. Não poderá ser este processo mais um a levantar nuvens cinzentas sobre os destinos financeiros, patrimoniais e desportivos do clube. Chega tudo o que aconteceu até aqui.

Será uma tarefa árdua, eu sei. Será praticamente impossível evitar alguns descarrilamentos pelo caminho deste novo e aliciante projecto. Mas peço desde já aos sócios, que atendendo às últimas experiências, não assobiem para o lado quando estão a ser tomadas decisões no início e que depois de o processo fechado venham atirar "tochas" aos dirigentes com acusações que poderiam ser evitadas se desde o início os Sócios do Sporting se interessassem por acompanhar o desenvolvimento destes projectos.

2 questões para finalizar: gostava que a nova estrutura contemplasse desde já espaço para a centralização da futura sede da Sporting TV e que apesar de sabermos que será inevitável vendermos o namming do pavilhão, podermos simbolicamente dar um nome ligado às modalidades do Sporting de importância relevante na história do nosso Sporting. Eu voto em... Pavilhão António Jesus Correia.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A Grande Mudança - parte 1


Não posso deixar de registar que, na minha opinião, está efectuada a primeira grande mudança no futebol do Sporting.

Carlos Carvalhal, uma semana depois de ter chegado ao comando do futebol sénior do Sporting começa por aplicar um novo método de treino. O Sporting passa a treinar em semanas decisivas 2 treinos por dia. Algo que com Paulo Bento aconteceu muito pontualmente.

É na verdade uma evolução digna de registo, acrescentando que, os jogadores voltaram a sorrir e a mostrar disponibilidade e entrega ao treino, depois de nas últimas semanas de Paulo Bento o ambiente na Academia ser diariamente cinzento e pesado. Os resultados não ajudaram e as exibições foram na sua maioria pobres, o que justificava poucos sorrisos.

Carlos Carvalhal apostou nos primeiros dias numa recuperação psicológica e índices de confiança, que a vitória da Taça ajudou a cimentar. Na semana do derby já se trabalha os novos sistemas de jogo que o Sporting passa a dispor para enfrentar os adversários. Os sinais de recuperação são óbvios,a acreditar nas notícias que chegam da Academia. Hoje, por exemplo, o Sporting teve um treino pela manhã e terá outra no final da tarde. Carvalhal irá com certeza preparar tacticamente o embate de Sábado. Sá Pinto, Bettencourt e... Salema Garção, continuam a marcar presença diária junto da equipa. O toque a reunir está dado e união é o que se pede a todos.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

100 000!!!


100 000!!!

Hoje ultrapassámos um facto histórico. Atingimos a barreira dos 100 mil sócios. Num dos momentos mais sensíveis no universo futebolístico do Sporting a fé da massa adepta neste - que é com certeza um dos maiores clubes desportivos europeus - cresce e dá um sinal claro de que acredita no futuro do clube.

José Eduardo Bettencourt, após a sua eleição, marcou este número como objectivo e já o cumpriu. Agora compreenderão muitos a razão pela qual o presidente tem, ao contrário dos anteriores nas 2 últimas décadas, investido tempo e recursos no périplo pelos vários núcleos do Sporting espalhados pelo país. A 2ª vaga será com certeza atingir ainda neste mandato os 125 Mil Sócios. Para isso terá com certeza de efectuar visitas aos núcleos espalhados pelas comunidades lusófonas espalhadas pelo mundo. Acredito que Bettencourt atingirá essa marca. Para isso terá também de contar com a ajuda da retoma - com certeza lenta mas progressiva - dos resultados futebolísticos. Com as vitórias do futebol do Sporting será mais fácil conquistar sócios.

Mas, ser Sporting não se resume ser adepto do futebol do Sporting. É muito mais do que isso. É um estado de espírito. Ser Sporting é ser eclético, é viver o fair play, é não ganhar a qualquer preço, mas ganhar por ser o melhor. É celebrar as vitórias com a mesma nobreza com que se aceitam as derrotas (justas!). É ter um visão sobre o desporto honesta, competitiva e evolutiva. Nada se esgota numa derrota ou numa vitória. É ter presente em mente, em todos os actos desportivos praticados e no modo de vida o nosso lema histórico: "Esforço, Dedicação, Devoção e Glória".

Ao longo dos seus mais de 100 de história, o Sporting já praticou mais de 30 modalidades. Somos a maior potência desportiva do país e uma das maiores da Europa. Os títulos nacionais e internacionais ganhos disso são a prova. Um clube com a dimensão do Sporting não pode hoje esgotar as suas virtudes no futebol. Terá sim de recuperar o élan ecléctico que fez desta instituição uma das maiores de sempre na história do desporto mundial.

Para isso é necessário devolver aos sócios o prazer de acompanhar modalidades como o Andebol, Futsal, Ginástica, num novo pavilhão desportivo junto - o mais possível - ao Estádio Alvalade XXI. É preciso recuperar o Hoquei, o Basket, o Ciclismo. Apoiar todas as restante modalidades na sua extensão desportiva, atlética e financeira. O clube será mais forte, quanto mais forte for a soma de todas as vitórias conseguidas por cada uma das modalidades existentes.

Infelizmente nos últimos 20 nos, o ecletismo no Sporting foi suprimido em prol de uma política apenas e só concentrada no futebol profissional. Mas... provou-se que com essa política, apenas conseguimos um resultado: o afastamento da massa adepta.

Bettencourt está no bom caminho. Quer puxar pelo Sporting. Pelos sócios do Sporting. Pela massa adepta do Sporting. Por todos os atletas do Sporting. O Universo Leonino volta a crescer e isso deixa-me feliz. E com certeza deixa a Alma de todos os Sportinguistas mais felizes.

A prova disso mesmo será dada, no próximo Sábado, numa grande festa, feita num estádio cheio de Leões, feridos futebolisticamente, mas dispostos a lutar pela vitória até ao último sopro. O Sporting é Grande! Não tenham dúvidas. Venham mais 100 000!!!

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Uma já foi!


Das 3 provas de fogo que temos pela frente nestas 2 semanas, que marcam um novo ciclo do Sporting, com um novo treinador, uma já está arrumada. Seguimos para os 8º finais da Taça de Portugal época 2009/2010. Tenho de fazer um sublinhado... o Sporting não perde nesta competição à 6 anos! É digno de registo.

Sobre o jogo de ontem, muito pouco à a sublinhar. Os primeiros 5 dias de treino com Carlos Carvalhal, numa semana em que praticamente só teve todo o plantel à disposição na 5ª feira à tarde, terá tido para esta partida muito pouco efeito. De registo apenas o facto de não termos jogado em losângulo, o que é uma evolução, e também ter sentido uma nova disposição psicológica dos jogadores.

4-1 pareceu-me justo, sobretudo pelos 4 golos marcados na 2ª parte, coisa rara nos últimos anos do Sporting. Moutinho e Veloso pareceram muito mais empreendedores do que num passado recente e já se percebeu que Pereirinha terá, até à chegada de Ismailov ao 11, um papel determinante neste novo desenho táctico do Sporting. Mas, foi só uma eliminatória contra os... Pescadores da Costa da Caparica. É preciso arrepiar caminho e concentrar esforços, dedicação, concentração e empenho total para o jogo do próximo sábado.

A vitória é muito importante na próxima jornada da Liga Sagres. Mas mais importante ainda é a equipa apresentar niveis exibicionais de acordo com o seu potencial. Hoje, para todos os efeitos, começou a época de Carvalhal. Já se percebeu que a recuperação anímica está em marcha e a alegria de jogar futebol está a regressar aos jogadores. Precisamos agora é de consistência. Confio no trabalho de Carlos Carvalhal para a recuperação do nosso Sporting. Foi bom ter visto todas as claques unidas no Restelo. No Sábado vamos tornar Alvalade um brutal covil de leões... esfomeados :)

Para já, e pela primeira vitória, os meus parabéns ao Carlos Carvalhal e Sá Pinto. Entraram com o pé direito. Mas, vamos arrepiar caminho, ok? Outra curiosidade a registar, é que apesar da nossa péssima época, continuamos a ser dos 3 grandes a equipa que menos jogos perdeu em encontros oficiais esta época... e temos mais 4 encontros disputados que o Benfica e mais 3 que o Porto (por força da supertaça). Não é nada de mais, mas, pode ser um bónus de confiança.

sábado, 21 de novembro de 2009

Época 2009 / 2010 - 2º Acto.


Começa daqui a pouco o 2º acto da presente época para o nosso Sporting. Pescadores, Benfica e Heerenveen são os nossos próximos adversários. São 3 jogos onde é fundamental ganhar por todas as razões que se prendem com a fé leonina para o que ainda falta desta temporada.

Num sábado marcado pela primeira conferência de imprensa de Carvalhal à frente do Sporting, onde a serenidade e esperança imperou no discurso do agora treinador leonino e pelas entrevistas de Paulo Bento que - nas vésperas da estreia do seu sucessor poderia ter dispensado estas entrevistas - optou por um discurso duro com a estrutura do Sporting, pouco esclarecedor e amargurado com tudo e todos. Não pareceu um homem a querer fazer balanço, reflexão e pacificador com a massa de adeptos leoninos. Pareceu mais, enveredar por um caminho conflituoso e justiceiro com o seu passado no Sporting.

Não vou, nem quero, fazer juízos de valor sobre o novo Paulo Bento através das entrevistas publicadas hoje. É passado para o Sporting. É passado para mim. Desejo sim, é partilhar a satisfação por sentir que a nação Sportinguista está a tocar a reunir e todos os dias sublinho mais apoios, de várias facções leoninas ao treinador, ao director de futebol e ao presidente. Faltam as vitórias. E isso, neste momento, está mais ao alcance dos jogadores do que restante estrutura. Esta eliminatória é para ganhar. De forma convicta e se possível com golos. Poderá ser um tubo de ensaio para Carvalhal. Estou curioso como é que o homem vai embrulhar a equipa.

Está na hora. Que comece o 2º acto.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Um Espinho na Pata do Leão.


Stojkovic.

Nem mais.

Eu sei que, existe ainda uma larga maioria de adeptos do Sporting que entendem que o guarda redes sérvio deveria ter uma nova oportunidade. O que desconhecem - talvez porque ninguém no Sporting soube esclarecer claramente - é francamente o mau feitio do sérvio e sobre tudo o péssimo ambiente que o mesmo criou no balneário nestes 2 últimos anos.

Stojkovic, foi mais uma litrada de gasolina que levou a "imolação" de Paulo Bento no Sporting. Ao certo, o que se passou para tamanha clivagem entre o jogador e treinador, que estará com certeza muito para além das razões técnicas, nunca será tornado público. Mas o que interessa no momento, é esclarecer aqueles que defendem que Carvalhal deveria dar uma oportunidade ao sérvio, de que o mesmo merece é o afastamento definitivo do Sporting Clube de Portugal. Porquê? Porque é um tipo de mau carácter, cuja a sua presença no plantel, mesmo como 4º guarda redes, envenena o ar que respiram os restantes elementos que compõem o plantel e equipa técnica.

E não sou eu que o digo. Os próprios jogadores do plantel do Sporting, principalmente o núcleo duro constituído por Moutinho, Liedson, Ismailov, Tonel, Veloso, Caneira e Polga - ao que parece há mais - que já fez chegar à nova equipa técnica, ao director de futebol e até ao próprio presidente que não quer contar mais com o sérvio incluído no plantel.

Reza a história que no momento de despedida de Paulo Bento dos jogadores do Sporting na manhã em que pediu a demissão, em pleno balneário, num momento de profundo constrangimento, o sérvio passou o tempo cinicamente a sorrir e basicamente gozando com a situação presente.

Isto não é digno de um profissional. Não é sequer digno de um homem com coluna vertebral. Isto é mesquinho, patético e tristemente real. Stojkovic provavelmente terá cantado vitória no momento da saída do Paulo. Mas ao fazê-lo em frente a todos os restantes jogadores que compõe o plantel do Sporting traçou o seu destino imediato: a expulsão do plantel. O mínimo exigido por uma equipa que não quer pactuar mais com tamanho cinismo sob pena de a história se repetir, caso Carvalhal não opte pelo sérvio no 11 inicial nos próximos jogos.

A Carlos Carvalhal, que apanha com com este conflito, é pedido que seja frio na tomada de decisão. A sua decisão vai pender para um dos dois lados: O plantel ou o Guarda Redes. E aqui parece-me que não vão existir muitas dúvidas, sob pena de nunca ter a seu lado o plantel se tomar parte do sérvio... algo que não acredito que vá acontecer.

Stojkovic, parece que pediu uma oportunidade a Carlos Carvalhal... sem perceber que o seu tempo no Sporting já ardeu. Por mais qualidades técnicas que reúna, há valores que devem continuar a ser superiores. Valores esses que me parece não ser um ponto forte no sérvio. O Leão tem este espinho enterrado na sua pata e ou livra-se dele rapidamente ou arrisca-se a uma gangrena de difícil recuperação.

Na minha opinião... Stojkovic ia de férias até Janeiro e embalado e arremessado para bem longe do Sporting logo na abertura de mercado. E sobre ele... espero não voltar a escrever nem mais uma palavra - o que tenho um pressentimento de que não vai ser o caso.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Continuam a brincar com o Sporting


Fico lixado com a imprensa que temos em Portugal. Não há forma de isto andar para a frente. É treta atrás de treta. Para quê? Porquê?

A de hoje foi esta história recambolesca de vir a público em todas as publicações on-line (sim, porque na Internet, as notícias são como as cerejas, umas atrás das outras, sem que ninguém se digne a confirmar as ditas através dos envolvidos, que Aragonés teria recusado um convite do Sporting para suceder a Paulo Bento.

Aragonês, que de viva voz, hoje, durante a tarde, confirmou à Rádio Renascença nunca ter recebido nenhum convite por parte do Sporting. A RR foi confirmar directo ao envolvido se a notícia que corria na Internet - lançada pelo jornal Marca - era verdadeira ou não.

Mas, mesmo que Aragonês tivesse confirmado que sim, que recebeu e declinou o convite - o que repito: NÃO FOI O CASO!! - por que cargas de águas se transforma e publica nesta altura esta notícia.

É para fragilizar o Carlos Carvalhal. É para que se torne uma realidade que foi o treinador de último recurso? Eu acho, honestamente que é apenas para gozar com o pagode.

Na altura em que estudei comunicação social foi-me sempre dito, por quem de direito, que uma notícia só pode ser publicada responsavelmente se for confirmada por factos comprováveis ou confirmados pelos envolvidos na notícia. Mas era no tempo em que eu estudava... hoje em dia parece que, retiraram esse capítulo na introdução ao jornalismo.

É pena... triste até... mas continuam a brincar com o nosso Sporting. E o que mais me transtorna, é que às 17:50, ninguém responsável pela área de comunicação do Sporting veio a público desmentir uma notícia que não tem pés nem cabeça.

Então o Sporting foi convidar o treinador Campeão da Europa, para liderar o futuro do seu futebol... 71 anos, e com certeza baratinho... quanto tempo falta para virem dizer que a FPF também o sondou para suceder a Carlos Queiroz, caso este, não nos colocasse no Mundial 2010?

Eis o publicado no site da Rádio Renascença esta tarde (19/11/09 - 13h22)

"O treinador espanhol sublinhou não ter recebido convites de Portugal.

Luís Aragonês desmentiu, em Bola Branca, os falados contactos com a Federação Portuguesa de Futebol na fase de maus resultados da equipa de Carlos Queiroz. Mas não só, o técnico espanhol também sublinhou não ter recebido do Sporting, qualquer convite para suceder a Paulo Bento."

Eis como o jornalismo em Portugal - neste caso o desportivo - está a ser urdido por pessoas de alto calibre profissional.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O Grande Enigma Leonino


Vamos aos factos:

Bettencourt é eleito por 90% dos votos no final da passada Primavera. No seu primeiro acto de gestão, renova contrato com Paulo Bento. Convencendo o treinador a renovar, criou de forma ingénua uma "armadilha" ao mesmo. Apesar do optimismo leonino, internamente havia noção de que a época não ia ser fácil. Reforços, dignos desse nome, apenas um - Matias Fernandez!

Sem resultados e principalmente sem exibições, a massa adepta cai em cima de Paulo Bento. A ruptura é inevitável. Contra tudo o que sentia, Bettencourt vê-se obrigado a aceitar o pedido de demissão de Paulo Bento. Tem início uma onda de demissões, que começa no Director Desportivo Pedro Barbosa, alastra ao Vice Miguel Ribeiro Telles e claro, restante equipa técnica. Em menos de 5 meses, o recem eleito José Eduardo Bettencourt vê desmoronar uma estrutura que desejava ver em exercício pelo menos até ao fim desta época, aproveitando o ano que tinha pela frente para reformar o organograma da SAD Leonina e dotar - julgo eu - de melhores recursos financeiros e humanos a mesma para que pudesse enfrentar os 3 anos restantes de mandato com máxima exigência e sobre tudo com conquistas.

Foi apanhado por um Tsunami que teve epicentro... do outro lado da 2ª circular. O arranque alucinante do nosso rival, provocou ondas de choque na massa adepta, nos jogadores, na equipa técnica e quem sabe... nas próprias "fundações do estádio".

Foi um presidente muito pouco politicamente correcto, o que presenciámos no pós ciclo de demissões. Ao contrário do que estávamos habituados, Bettencourt foi mais adepto e sócio, do que presidente. Falou mais com o coração do que com a cabeça... e na minha opinião, perdeu a mão na Instituição por alguns momentos. Bettencourt, eleito em Maio, para mim ainda não tinha vestido efectivamente o fato presidencial. No "conforto" da estrutura que vinha de trás, preocupou-se apenas em reanimar as tropas, aumentar o número de sócios e preparar a votação em assembleia do famigerado e desejado plano de reestruturação da SAD e natural re-escalonamento do plano de amortização da dívida - principal responsável por termos chegado até aqui.

Com a passagem da "onda tsunami", Bettencourt, rapidamente teve de vestir o fato presidencial e encarar o problema imediato. "Enterrar os mortos e cuidar dos vivos" foi a frase que marcou o novo ciclo de Bettencourt.

O que estava em cima da mesa era: Novo Treinador, Nova Equipa Técnica, Novo Director Desportivo, Colmatar na SAD a saída de Ribeiro Telles. Mas, quando esperávamos uma atitude séria, ponderada e preocupada perante o problema que tínhamos pela frente, assistimos à abertura do circo de Natal da imprensa. Nomes, nomes... e mais nomes... testando, configurando, sentindo o pulso e até sondando. Pergunto: foi tudo invenção da imprensa, folclore habitual ou houve fugas de informação internas?

A partir do momento em que a imprensa tomou conta - aparentemente - da agenda de nomes para ocupar as vagas na estrutura profissional do futebol do Sporting, estava dado o mote para o Grande Enigma Leonino.

Entre comunicados à CMVM, que deixaram pontas para várias interpretações, declarações presidenciais em sentido contrário ao referido comunicado, o folhetim Villas Boas - que desejo que esteja enterrado e bem enterrado! - fazia o delírio da imprensa. Entretanto começam as nomeações. Todas elas soluções internas. Sá Pinto, para o lugar de Director de Futebol. Salema Garção!!! Team Manager!!! Nobre Guedes para SAD... contratações externas, nem uma. Porquê? Esta é a pergunta para a qual vou aguardar uma resposta por parte do Presidente.

Bettencourt chama a si, grande parte das responsabilidades sobre os destinos do Futebol Profissional do Sporting. Até aqui, uma novidade no historial recente dos presidentes do Sporting. Mas, para além disso, Bettencourt ignora no momento todos os restantes órgãos consultivos do Sporting, como por exemplo o Conselho Leonino. Porque não foi consultado o Conselho de estado Leonino?

Resolver o problema imediato no Sporting com soluções internas não tranquiliza a massa associativa. A não ser que o Presidente precise de mais tempo para organizar uma profunda remodelação em todo o organograma da SAD Leonina e que ao mesmo tempo esteja a aguardar pela execução do plano de reestruturação do grupo Sporting agendado para Março. É de esperar, que nessa altura, sejam explicadas estas actuais nomeações - que para mim só podem ser provisórias - e apresente uma solução mais séria e mais consistente com os desígnios futuros do Universo futebolístico do Sporting.

Convenhamos, Sá Pinto - a única e honrosa nomeação interna desta fase - está presente no actual quadro com o objectivo claro de servir de pára choques do presidente. Todas as restantes nomeações, são apenas e só, soluções de recurso imediato.

O Sporting continua sem investir em si próprio. Porquê? Outra resposta que terá de ser dada pelos responsáveis ao longo desta época. O que está por trás de tanta contenção de custos?

E chegamos ao nomeado treinador. Carlos Carvalhal, contratado em verdadeiro segredo, apanhando todos de surpresa, surpreendendo ainda mais pela manifesta falta de vontade em colocar nesta escolha um ênfase acentuadamente afirmativo. Uma não apresentação - clássica conferência de imprensa com Presidente e Director Desportivo ao lado da nova escolha - é sim uma novidade. É lógico que nenhum de nós quereria um circo semelhante ao criado pelos nossos rivais aquando da contratação de Camacho pós Fernando Santos - com romarias, bandeiras desfraldadas, centro de estágio lotado para ver os treinos - ou até a de Quique Flores que na nova era Rui Costa, foi recebido como se de Deus tratasse. Nada disso. Mas, intriga pensar na razão que levou a Bettencourt a decidir que Carlos Carvalhal não seria apresentado na forma clássica. Intriga saber porque razão foi anunciado um contrato de apenas... 6 meses (com mais um de opção). Intriga saber, o que pensa Carvalhal disto tudo. Está confortável? Foi assumido internamente por todos que seriam estas as regras? Não se querem expor mais às perguntas rídiculas dos jornalistas do género - Carvalhal também vai ser Forever?

A serenidade de Carlos Carvalhal nestes 3 primeiros dias à frente do futebol do Sporting dá-me algum conforto. O Carlos não é parvo. Sabe o que vale e o que pode fazer com os meios que tem. Vejamos as coisas por outro prisma. Habituado a clubes a cair aos pedaços está ele. Ora entrar no Sporting desta maneira, nunca será pior do que entrar em clubes cuja a missão de os manter a funcionar mensalmente já é praticamente impossível. Ora, com os actuais meios que tem ao seu dispor - que no nosso universo são parcos mas que para ele são fantásticos - Carvalhal não terá pressão nenhuma em cima dos seus ombros e irá concentrar esforços em recuperar psicologicamente, fisicamente e no fim futebolisticamente um plantel que tem, apesar de todas as críticas, o seu potencial inexplorado.

Mas, mesmo com a contratação de Carvalhal, a composição da equipa técnica é surpreendente. Carvalhal assume a preparação física - será boa opção? - trouxe consigo apenas 2 homens de confiança. A restante equipa técnica é composta por pessoas da casa. Lima - o treinador dos júniores de Alvalade - sobe a nº 2 desta nova equipa técnica e... a coisa segue até à nomeação surpreendente de Vítor Silvestre para treinador de Guarda Redes. Silvestre que tem apenas 26 anos! Poderá ser provisório, aceito isso. Mas se o é, têm o Nelson - actualmente na baliza do Belenenses - para ocupar a vaga. Mexam-se! Se não é provisório, assumam a escolha como uma aposta de futuro, mas que seja já e com todo as as letras.

Este Sporting de meias palavras, ou se quiserem nesta semana, de nenhumas palavras, é que não passa de um enorme enigma. Numa altura em que é preciso juntar todas as vontades, o silêncio deixa muitas questões em aberto. O que pode ser prejudicial no curto prazo.

Bettencourt, agora efectivamente presidente, toma as decisões que entende serem as ideais no momento. A razão das escolhas ficará para mais tarde. Não é este o plano de quem quis derrubar Paulo Bento e tudo o que ele significava estava à espera de ver concretizado, mas, à mínima falha - o que até pode acontecer no jogo da próxima jornada - pode deitar por terra as intenções do presidente com nova onda de contestação dos "Batassunas" de Alvalade

Por isso, acho que o nosso Sporting está transformado num grande enigma. Daqui para a frente, tudo o que for dito e feito, ou ajudará a montar o puzzle ou criará ainda mais fraccionamentos no Universo Leonino.

Espero que Bettencourt tenha consciência de que, com o caminho escolhido, está a caminhar sobre gelo muito fino. O que é injusto para Carvalhal, mas, é a vida. Aceitou o convite, só tem que conviver com a realidade que o Presidente lhe apresentou. Mas, esta época, vai determinar com certeza 2 cenários: a saída de Bettencourt no final da época se todos os planos falharem - só assim compreendo o 6 meses de Carvalhal e as nomeações estranhas efectuadas, abrindo a porta a quem vier a seguir determinar uma nova estrutura - ou o arranque para um mandato efectivamente executado por alguém que quer o melhor para o Sporting custe o que custar. Um mandato mais presidencialista e clubista do que qualquer um outro que passou pelo Sporting desde Sousa Cintra. Serão 6 meses em avaliação permanente. Só depois teremos este grande enigma resolvido. Para bem do Sporting, só desejo um cenário - o das vitórias em todos os jogos que temos pela frente esta época.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O Joker de Bettencourt...

...é Carlos Carvalhal.

Carlos Augusto Soares da Costa Faria Carvalhal nascido em Braga, a 4 de Dezembro de 1965. Fará no próximo dia 4 de Dezembro 44 anos.

O seu nome ficou inscrito na história do futebol português quando em 2001/2002 foi o 1º treinador (e até ao momento único) que conseguiu qualificar uma equipa - o Leixões da 2ª divisão B para a final da Taça de Portugal onde perdeu com o nosso Sporting por 1-0 e consequentemente garantir um lugar na Taça UEFA.
Em 2007/2008, à frente do Vitória de Setúbal, venceu a 1ª edição da Taça da Liga,curiosamente... frente ao Sporting, garantindo nessa mesma época para os sadinos uma presença na Taça UEFA alcançando ainda os quartos de final da Taça de Portugal. No final dessa temporada partiu para a Grécia. onde assinou com o Asteras Tripolis do Campeonato Grego de Futebol.

A ida á Grécia, foi a sequência lógica de quem, após uma mão cheia de boas épocas sonha aspirar mais alto. E nada como uma época fora de Portugal, para ser sempre um futuro treinador de qualquer um do 3 grandes. Mas isso não aconteceu. Com FC Porto bem entregue a Jesualdo Ferreira, o Sporting com Paulo Bento e o Benfica cismado com os espanhóis, falhou a estratégia de no regresso a Portugal, significar a entrada num dos grandes.

Houve teorias de que seria ele o substituto de Jesualdo Ferreira, houve quem o apontasse à Luz, mas não passaram de pequenas "correntes", que nunca tiveram o seu fundamento confirmado.

O que é certo... e ao mesmo tempo curioso, é que Carlos Carvalhal, nunca foi apontado ao Sporting. Nunca fez parte do lote dos eternos futuros treinadores do Sporting. E o inusitado do momento é que Carvalhal foi, até certo ponto, o culpado pelo princípio do fim de Paulo Bento no Sporting.

Todos estarão por certo recordados da época em que Carlos Carvalhal, á frente do Vitória de Setúbal, não perdeu um único jogo com o Sporting de Paulo Bento. Num exercício simples de memória, confesso de que a primeira vez que senti contestação da massa adepta do Sporting foi na época de 2007/2008 a jogar contra o Vitória de Setúbal em casa, num jogo que terminou empatado 2-2. Foi em 23 de Setembro de 2007 - 5ª jornada. O Sporting jogou com o seguinte 11: Stojkovic; Polga; Ronny; Gladstone; Abel; Vukcevic; Farnereud; Miguel Veloso; João Moutinho; Purovic e Liedson. Paulo Bento, ouviu a sério, os primeiros sinais de desagrado nas bancadas de Alvalade. O Setúbal esteve a ganhar por 2 vezes durante o encontro e foi ao minuto 86´que o insuspeito Purovic empatou a partida. Jogaram ainda nesse encontro Yannick; Ismailov e Romagnoli.

Na TSF, dizia o comentador Manuel Pedro Gomes que Carlos Carvalhal tinha dado um banho de bola a Paulo Bento. E cronistas dos desportivos falavam maravilhas do futebol apresentado pelo Vitória de Setúbal.

Mas, a história ainda teria mais capítulos. Só para situar os mais distraídos, nessa época nas primeiras 10 jornadas do campeonato o Sporting tinha 5 vitórias, 3 empates e 2 derrotas (por ordem de jornadas - 1ª vitória com Académica/ 2ª derrota com Porto / 3ª vitória com Belenenses / 4ª Vitória com Amadora / 5ª empate com Setúbal / 6ª empate com Benfica / 7ª vitória com Guimarães / 8ª empate com o Nacional / 9ª vitória com o Naval e 10ª jornada, derrota com o Baga, na Pedreira por 3 - 0. Pontos: 18! em 30 possíveis. Quantos pontos temos à 10ª jornada 2 anos depois? 14! Mais 2 empates do que então na altura.

2007, significou um arranque muito conturbado para o Sporting, e ao mesmo tempo significou também os primeiros sinais de contestação a Paulo Bento. E recordo particularmente este jogo com o Setúbal de Carvalhal.

Em Dezembro de 2007, Carvalhal consegue novo feito. Elimina o Benfica da Taça da Liga, com 1 empate na Luz a 1-1 e vitória no Bonfim por 2-1

Algumas semanas depois, novo encontro entre Sporting e Vitória de Setúbal. Uma derrota para a Taça da Liga no Bonfim. Foi a 9 de Janeiro/2008. Um jogo sem grandes consequências, o Sporting estaria apurado para a final, mas que elevou o estado de espírito da equipa Sadina nessa época e que marcava um ritmo de bons resultados sobre o Sporting. O Sporting jogou com Stojkovic na baliza... e seria o último jogo do Sérvio pelo Sporting, se não estou em erro. A polémica estalou e muito depois desse jogo. O golo tinha sido um meio frango do Sérvio, que andava azedo por estar no banco por troca com Rui Patrício.

Na mesma época, haveríamos de jogar em Setúbal na 2ªvolta, a 24 de Fevereiro, 20ª jornada, jogo que terminou com a nossa derrota por 1-0. Lembram-se do frango de Rui Patrício em Setúbal?

Carvalhal estava em alta! Era o maior. Uma vez mais, escrevia-se na imprensa, novo banho táctico sobre Paulo Bento.

Faltava novo jogo... o da final da Taça da Liga, no Algarve, com o empate a zero no final de 120 minutos e depois... uma vez mais, derrota nos penaltis.

Carlos Carvalhal era o herói das hostes benfiquistas, portistas e claro sadinas. Paulo Bento foi, nesse jogo, bastante criticado, quer pela imprensa, quer pela massa adepta, da qual, uma minoria iniciaria um processo de "intenções" para pressionar a saída de Paulo do Sporting.

O curioso desta história, é terminar 2 anos depois com a substituição de Paulo Bento, por uma das suas Bestas Negras: Carlos Carvalhal, que para mim foi um dos motores de ignição de toda a fase anti-Paulo bento que se viria a instalar em alguns sectores da bancada... e não só.

Este fim de semana, e hoje durante o dia, foi cómico ler, alguns escribas em blogues e ouvir alguns opinadores... que começaram por "queimar" Paulo Bento à conta dos embates contra o Carvalhal - com as frases que invariavelmente terminavam com "banho táctico" - começarem precisamente a queimarem o Carvalhal, por ser um treinador que não está à altura dos pergaminhos que se exigem ao Sporting!! Repito... futebol não tem nada de racional. Não tem nada de lógico. Não tem coluna vertebral. Futebol é... zero razão. 100% paixão.

Carlos Carvalhal é o Joker de Bettencourt, por uma razão simples: fomos apanhados de surpresa. E essa surpresa provocou um desagrado que não compreendo nas hostes leoninas. Então o homem, quando ganhou a Taça da Liga ao Bento, era o maior - para os que não gostavam do Bento - e agora que Bettencourt o trouxe, não vale nada? Alguém já se deu ao trabalho de analisar correctamente o histórico de Carvalhal? Das opções disponíveis não é dos piores. Não seria a minha primeira opção - como já o afirmei no post anterior - nem a 2ª opção. Mas, estaria na linha de possíveis e legítimos candidatos - dentro do mercado disponível!

Termino com esta afirmação que me pode sair cara, mas da qual estou convicto: Antes o Carvalhal que o Villas Boas. Porquê? Simples... algum dia eu queria para o Sporting como treinador alguém que tem menos experiência de treino, balneário e banco do que o nosso querido Paulinho "roupeiro"?

Carlos Carvalhal, passou a ter desde a madrugada de Domingo o meu total apoio como adepto do Sporting. Seria bom que todos pensassem assim. De outra forma... continuaremos a separar mais aquilo que realmente nos une.


Um Aparte: depois desta minha opinião sobre Carlos Carvalhal, não posso deixar de estranhar (até de uma forma positiva!) todo o processo de contratação e apresentação do nosso treinador. Mas deixo isso para o próximo post.


PS: Para trás, na história Bento Vs. Carvalhal fica na história, na já distante época de 2001/2002 - ano da nossa dobradinha - uma vitória de Paulo Bento como jogador sobre Carlos Carvalhal, na final da Taça de Portugal por 1!-0 com golo de Jardel a 12 de Maio de 2002. Atenção que o Leixões militava na 2ª divisão B e Carvalhal subia à Liga de Honra com o seu Leixões, que na altura impressionava tudo e todos com o seu futebol de ataque. Aliás nessa final... ainda sofremos... para ganhar. Não querem ir rever os títulos de imprensa depois dessa final e ler... o que se escreveu sobre o nosso agora treinador?

Mariano Barreto. Era a minha aposta.



Agora, que já temos um treinador, vale a pena aqui assumir qual era a minha escolha para sucessor de Paulo Bento. Mariano Barreto. Sim, o treinador que esteve ligado à formação do Sporting na década de 90 e que foi adjunto de Queiroz no Sporting em 94/95. E não estive longe de acertar nessa opção, uma vez que, tinha comigo dados que me levavam a acreditar que José Eduardo Bettencourt queria Mariano no Sporting.

No meio de um "milhão" de nomes que foram sendo pré-anunciados, o de Mariano, passava ao largo da especulação. Apenas um órgão de informação avançou com o que se estava a passar: Correio da Manhã, que na manhã de 12 de Novembro, anunciava da dificuldade do professor Mariano ser libertado do seu actual clube - Recreativo do Líbolo em Angola. Mas que reforça o desejo de ser treinador do Sporting em breve.

Mariano Barreto porquê?

Bom, em primeiro lugar, por ser na minha opinião, o treinador que preenchia todos os requisitos que o presidente do Sporting anunciou serem essenciais para a contratação do novo treinador. Depois, porque Mariano Barreto tem sido um treinador com uma carreira ascendente desde que saiu do Sporting, onde foi, durante muitos anos, parte integrante da área de formação do Sporting. Sendo alguém que conhece bem a formação da casa, poderia ser alguém que apostasse numa política rígida de congregar o que de bom se faz na formação com as necessidades do plantel sénior.

O professor Mariano Barreto é também um profissional que tem na base da sua formação... a preparação física, sendo conhecido pela sua dureza na preparação física - relembro só que Roger Spy era o preparador físico na época de Queiroz e Barreto - das suas equipas e que é reconhecidíssimo em Moscovo onde treinou recentemente o Kuban, o Dinamo e o Locomotiv.

Descobriu e lançou Ismailov, treinou Tonel e Carriço.

Treinou em Portugal o Marítimo, realizando até a data em que saiu - por razões que se prenderam com a especulação no envolvimento do caso casa pia - uma época brilhante até pedir a demissão para regressar a Lisboa e defender "a sua honra" contra as acusações graves de que foi alvo, mas que vieram a tornar-se nulas e sem provimento algum.

Treinou ainda a Naval, onde conseguiu colocar uma equipa frágil a jogar em pressão alta e com olhos postos na baliza do adversário.

Actualmente encontra-se em Angola, onde colocou o modesto Recreativo do Líbolo no 2º lugar do Gira Bola. Feito que deixou presidente e adeptos em extâse e que foi factor para travar as negociações entre Sporting e Mariano.

É um sportinguista de alma e coração, é destemido e tem na sua matriz táctica, processos de transição defesa ataque e um modelo ofensivo que colocam as suas equipa a jogar ao primeiro toque, com frente alargada de ataque, com veia goleadora e com pulmão e massa muscular que permitem ter as suas equipas sempre na máxima disponibilidade física.

Tenho pena, que não seja este o momento, em plena ruptura, que Mariano não tivesse vindo para Alvalade. O Sporting teria muito a ganhar. Teria sobretudo um homem determinado em colocar o Sporting novamente na linha da frente em todos os sentidos.

Fiquem atentos às próximas entrevistas de Mariano Barreto. Não é hoje o treinador do Sporting, mas, com os seus 53 anos, tem ainda pela frente muitas oportunidades para chegar ao banco do Sporting. Esperamos é que não seja a muito curto prazo, pois seria sinal de que a actual escolha falhara, o que seria muito mau. Mas falarei da actual escolha num post seguinte.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

O Novo Director Desportivo: Sá Pinto.


O Sporting Clube de Portugal, comunicou hoje à CMVM que Ricardo Sá Pinto é, a partir de hoje, o novo Director Desportivo do Futebol Profissional do Sporting.
A notícia, já esperada, é oficializada através da obrigação que o Sporting tem, como cotada em em bolsa, de informar de todos os actos que envolvam estruturas técnicas, dirigentes ou patrimoniais da SAD.

Dito isto, registo com bastante satisfação a escolha de Bettencourt. Sá Pinto é talvez o maior símbolo do futebol do Sporting dos últimos 20 anos. Está no coração da bancada. Tem uma personalidade leonina e será com certeza, um elemento que no balneário vai mexer sempre com o estado de espírito dos jogadores e equipe técnica.

Sá Pinto, na minha opinião, pode ser o abanão que o Sporting precisa neste momento. Raça. Querer. Força. Determinação e Paixão serão com certeza elementos que vão ser acrescentados no imediato ao plantel. O perfil de Sá Pinto, vai por em sentido todos os adversários do Sporting. Pelo que conheço de Sá Pinto, tenho a certeza de que o Sporting terá a partir de agora um verdadeiro Leão, na defesa intransigente de todos os interesses do futebol profissional do Sporting. A sua chegada a um cargo tão importante - talvez o mais importante de toda a estrutura do futebol - trará uma nova Alma ao Leão. Com ele, sei que não haverá problema nenhum em dar uns valentes murros na mesa, ou portas, ou roupeiros... quando for necessário.

Esta mudança - a primeira oficializada - dá força ao Sporting. Mas... vamos com calma. Sá Pinto não vai resolver toda a crise sozinho. A sua primeira medida oficial será com certeza anunciar o novo treinador e equipa técnica. Mas o seu trabalho não se vai esgotar ai... um director desportivo é muito mais do que isso, e entendo nesta fase que, Sá Pinto, precisa de estar bem acompanhado. Por alguém, que em primeira instância, conheça muito bem o mercado de futebolistas de forma global. Precisa de uma política de comunicação séria e competente. Precisa de alguém a seu lado com experiência na análise e reflexão fria dos vários momentos que se vivem no futebol - o Sá é, como sabemos, alguém que tem a paixão e o coração muito acima da racionalidade e nesta matéria é necessário alguém fazer o contra ponto - e precisa que seja bem explicito pelo Presidente do Clube e SAD que ele é, de facto, o homem com mais poder no futebol do Sporting a seguir ao Presidente. Ou seja, a equipa técnica que chegar terá de perceber que tudo o que está para além do relvado, da táctica, do treino, das metodologias e planeamento de época, é da responsabilidade máxima do Director Desportivo.

Cair no erro e no pantâno em que Pedro Barbosa caiu, é fragilizar à partida tudo o que de bom representa esta nomeação.

Sá Pinto é, neste momento, o verdadeiro Coração de Leão. É com ele - e através dele - que a massa adepta e claques farão as pazes com o clube, com os jogadores, com a actual presidência e abrirá caminho a uma boa recepção dos novos elementos da equipa técnica e do seu líder. Mas isso serã outros 500 paus.

Um aparte: no meio do rebuliço positivo que a notícia de Sá Pinto traz, passam despercebidas outras nomeações internas que permitem a manutenção de alguns ratos que continuam encolhidos, aguardando a passagem da tempestade sobre Alvalade. Facto que me preocupa, pois, a manutenção e até promoção de alguns deles só estão a premiar incompetência e mediocridade, mas, outros valores falam mais alto... estaremos
atentos.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

E o novo treinador do Sporting é...

... André Vilas Boas, diz o jornal o "Jogo"! Ou Manuel Cajuda, diz o jornal "Record"! Ou Manuel José, ou, Manuel Machado... ou todos os outros que a imprensa já avançou e que - à excepção de Jorge Jesus ou Jesualdo Ferreira - já foram dados como certos no Sporting.

O momento não está para graçolas, mas, confesso que estou deliciado com tamanha confusão que reina na imprensa e blogosfera, sobre os desígnios do próximo técnico do plantel sénior do Sporting.

Agora, a sério.

Desde Junho que temos dado tiros, atrás de tiros nos pés, mas, haja o que houver, tenho de reconhecer que Bettencourt está a baralhar tudo e todos. Só resta saber se o está a fazer conscientemente, e por força disso até faça de propósito para andar meio mundo a adivinhar, ou, por ingenuidade - o que não acredito - de efectivamente ainda não ter (ou saber!) contratado o novo "homem".

Mas, não tenho dúvida que já existe homem novo para o cargo. Não será consensual. Todas as hipóteses REAIS podem ser cogitadas, mas espero que Bettencourt tenha seguido uma linha racional, que não resolva apenas o presente, mas que exerça um trabalho e evolução com futuro.

Há um nome, que nunca foi cogitado, por imprensa, por bloguers e opinadores. Há um nome que preenche todos os requisitos lançados pelo presidente. Há um nome, que tem actualmente todas as condições para marcar uma nova era no futebol do Sporting. Conhece o Sporting como poucos, já esteve no quadros do Sporting, é Sportinguista e tem muitas responsabilidades no que foi a evolução da formação do Sporting na década de 90. Já treinou clubes com história na Europa do Futebol e agora, nos confins de uma cidade perdida fez um feito deixando o clube que actualmente treina na melhor classificação do seu campeonato de sempre. Alguns sussurram baixinho que é o homem que pode realmente encetar um novo ciclo no futebol do Sporting, não destruindo o que de bom já foi construído até aqui, corrigindo o que de mau foi feito nos últimos tempos. . Deveria, na minha opinião da altura, ter sido logo o sucessor de Peseiro - logicamente não adivinhando o percurso que Paulo Bento ia fazer. Tem o perfil ideal para um clube com as ambições do Sporting. Sereno, discreto, de poucas palavras e... inteligente.

Se querem uma pista, avanço com a seguinte: quem foi o jogador que disse, no actual estado do Sporting, arrumar as malinhas e partir para a sua terra em Dezembro e... que curiosamente, depois de meses inactivo voltou ao relvado da Academia e com um sorriso na cara? E o que liga este jogador ao treinador de quem falo?

Terá o jogador em causa recebido a notícia sobre o novo treinador com agrado? Terá esse homem acedido ao convite do Presidente? Terá Bettencourt fechado contrato com o homem? A resposta será dada dentro de muito poucas horas.

Ate lá... vou continuar a assistir ao chorrilho de asneiras que vão continuar a ser ditas pela imprensa e blogosfera, hora após hora.

Enquanto este nome não vier à "baila" estamos bem! Ele é a minha aposta.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Nunca mais terminam...


... estes dias aziagos que estamos a viver. Não vejo a curto prazo também fim à vista. A massa adepta continua numa guerra sem quartel. Quem paga, são os jogadores.
A escolha do próximo elenco técnico segue sem grande agitação interna, mas com muita especulação externa. A imprensa dispara em todos os sentidos, mas até agora continua às cegas.
O próximo treinador,virá encontrar um clube num estado de de depressão profundo e sem qualquer indíce de recuperação psicológica. Temos uma paragem de 2 semanas. Quanto mais rápido se anunciar o novo treinador, mais rápido acabam as especulações, as teses, a contra informação. Mas ainda assim, durante algum tempo, o treinador escolhido irá sofrer a contestação de um grupo de adeptos que nunca está satisfeito com nada que o clube faça. Esta é uma prova de fogo para José Eduardo Bettencourt. O resultado das suas decisões vão ditar muito do futuro a curto prazo.
As imagens de Domingo em Vila do Conde, após o jogo, onde adeptos mais uma vez brindaram os jogadores com uma monumental vaia, são já a imagem de marca da época 2009/2010. Há razões claras para que os adeptos se sentirem frustrados, zangados e até desiludidos com os jogadores. Em última instância são eles os responsáveis por todo o clima que se vive. A bola no poste, o falhanço clamoroso, a intranquilidade, péssima forma física e psicológica... tudo isso conta para o actual estado da nação leonina. Mas ao mesmo tempo, é preciso não esquecer, que há razões para os jogadores chegarem a este estado. Razões que estão fora do balneário, fora do plano técnico... estão nos gabinetes de alguns artistas, que não há meio de saírem.
Depois das demissões de Barbosa e Telles, acreditei que iam rolar mais 2 ou 3 cabeças... mas não aconteceu. Tal como os ratos, esses, escondem-se em alturas de crise. Não será fácil imaginá-los trancados nos gabinetes, com telefones desligados, aguardando apenas que passe a tempestade. Bettencourt, já deveria ter agido. Não basta apontar o dedo a alguns adeptos, é preciso ir mais longe. É preciso limpar alguns gabinetes.
Mas a prioridade é definir que estrutura técnica vamos ter para o futuro do clube. Director Desportivo, Vice da SAD para o futebol e equipa técnica. Tenho as minhas preferências, provavelmente não serão as eleitas, mas assumo já 2 coisas. Não colocarei oposição nenhuma a quem vier... desde que seja português. Darei o meu apoio, mesmo que não seja um treinador da minha preferência. Também não vou pressionar exigindo este ou aquele. É fácil exigir quando se está de fora. Não contem comigo para aumentar a confusão. Sobre treinador, director desportivo e vice para o futebol, não escreverei uma palavra, apesar de já o ter dito de viva voz em alguns círculos.
Apelo, ao silêncio, à reflexão e respeito por quem está a decidir agora o futuro do nosso clube. No tempo, as decisões serão avaliadas. Espero também que o conflito, adeptos / jogadores tenha chegado ao fim. Sem um clube unido, será muito difícil enfrentar o longo caminho que esta época ainda tem para percorrer. Farei parte dos que querem unir... não dos que querem separar.
Ontem Paulo Bento esteve no Dia Seguinte. Foi uma hora e meia de entrevista. Nada de novo. Coerência no discurso. Defende o plantel, o Barbosa, o Telles. É um homem integro, disso não há dúvida. Mas, as palavras de Bento reconhecem que dificilmente daria a volta à actual situação. Mesmo com o apoio da actual estrutura. Ou seja, hoje, dias depois da sua demissão reconhece o baixar de braços. Ganhou quem está no clube e não quer saber da equipa de futebol. É incrível... mas temos pessoas assim, trabalham e recebem do clube, e estão-se nas tintas para os destinos do futebol profissional do Sporting.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Depois do Ventspills...


...vinha o jogo com o Rio Ave. Um jogo nada fácil em perspectiva. Á mercê de uma excelente época que, mais uma vez, Carlos Brito, está a fazer à frente do clube de Vila do Conde e com a confusão futebolística que reina agora em Alvalade, o que para muitos foi uma grande desilusão o resultado final, eu entendo que foi um mal menor.
Estou de acordo que não é concebível, uma equipa estar a ganhar 2 - 0 e deixar-se empatar em 10 minutos, com golos oferecidos. Mas, ninguém antes de o jogo ter início, podia arriscar a dizer que o Sporting ao intervalo estaria a ganhar por 2-0.
A verdade é que, ontem, tivemos uma equipa à deriva. Com o coração na boca, a querer mostrar pulmão e garra, mas muito pouco organizada, concentrada e consciente das suas actuais reais capacidades.
O 11 inicial não foi mais do que a lógica para esta época. Não se arriscou em mudar, já que mais não fosse para colocar a equipa a jogar mais determinada e atenta. Apostou-se nas rotinas de sempre, chegou-se facilmente ao 2-0 e depois... a imagem de marca do Sporting 2009/2010 até à 10ª jornada. Uma equipa nada ambiciosa, com enormes fragilidades defensivas, sem ser capaz de reter a bola, organizar um ataque com a bola no chão e sem aproveitar as transições defesa-ataque que poderiam, nos primeiros 10 minutos da 2ª parte ter feito o Sporting aumentar as possibilidades de chegar ao 3-0.
Lastimáveis as substituições ao intervalo. Angulo, não pode jogar neste Sporting . Caicedo, não pode ser o companheiro de Liedson. Foram 2 cepos que nos colocaram a equipa a jogar não com 10 mas sim com 7 jogadores. Pedro Silva... não tem qualidade para um Sporting. Tonel, não é actualmente a melhor opção no 11. Rui Patrício sabia que ontem era o seu último jogo como titular do Sporting - salvo ocasiões pontuais.
O somatório de tudo o que foi o Sporting nesta época foi o espelho no jogo de ontem. Claro que é pena, o Sporting perder a oportunidade de se aproximar do Braga e Porto. Seria um reforço positivo para a entrada de uma nova estrutura técnica. 9 pontos ainda seriam recuperáveis à 10ª jornada. 12 pontos... acho mais difícil.
No entanto esta Liga Sagres está a provar que, nada é certo. As surpresas sucedem-se em cata dupla. Aliás, a nossa Liga e outras Ligas europeias. Alguém viu ontem o Lyon - Marselha? 5-5? Mas o que foi aquilo? um jogo de Hoquei? Futsal? Foi futebol espectáculo.
Um ponto em Vila do Conde tem tanto de bom como de mau. Bom, pelo actual quadro do futebol profissional do Sporting. Mau, pelo facto de uma vez mais perdermos a oportunidade de nos aproximarmos do grupo da frente.
Chega mais uma pausa no campeonato. Na anterior escrevi aqui que era necessário efectuar um Reset. Não serviu de nada. Esta pausa será em tudo diferente. Não estamos a falar de um simples Reset. Estamos a falar de um lógico format C:

sábado, 7 de novembro de 2009

É preciso levantar a cabeça.


As últimas 24horas foram péssimas para o estado de espírito de qualquer sportinguista. Mesmo os que desejavam a saída da estrutura técnica e dirigente da Sporting SAD, não podem saltar cheios de alegria, uma vez que, até para esses agora, o futuro é uma incógnita.

Acabou-se um ciclo. Dou razão a quem disse que provavelmente acabou 4 meses atrasado. Bettencourt, deveria com a sua eleição ter iniciado o ciclo que só hoje teve início. Com muita dor, há que colocar uma pedra sobre o que aconteceu ontem e olha para a frente. LEVANTAR A CABEÇA. O Futuro do Sporting começa hoje. Chega de divisão, discussão, antis e prós, e o raio que nos parta!!

É hora de juntarmos forças, lutar por um só objectivo: Um Sporting de Vitórias. Não especulem sobre quem deveria ser o treinador. Não façam teses sobre qual o melhor perfil. Não peçam este e o outro mundo. Recebam quem vem com carinho, com fé, com disponibilidade para o ajudar. Vamos ter um treinador. Disso temos de estar cientes. Não será consensual... e também temos de ultrapassar isso. O Sporting precisa urgentemente de vitórias e só as conseguirá se nos unirmos a uma só voz.

Eu gostava que mudasse mais do que se mudou até aqui. Há ainda elementos da actual estrutura que não têm estofo para ocupar os cargos que ocupam. São incompetentes e deveriam reconhecê-lo já, dando oportunidade ao Presidente a reformar quase por inteiro uma estrutura que não tem qualidade para servir o Sporting. Mas, mais dia menos dia, eles saem.

Bettencourt, começa hoje verdadeiramente a sua presidência. Tem de escolher e convencer um treinador, um Director desportivo e um Vice na SAD para o futebol. Tem de olhar os jogadores na cara e dizer, sem rodeios, o que tem de ser dito. ou sim, ou sopas. O jogador que acredita no Sporting tem de lutar pelo Sporting. Jogador que não acredita no Sporting tem guia de marcha em Dezembro.

Hoje fui confrontado por muitos Sportinguistas tristes e descrentes no futuro a curto prazo. Só posso dizer que com essa descrença. não vamos a lado nenhum. Enterrados os machados de guerra é preciso reunir forças para os combates que se seguem. O Sporting não acaba aqui. O Sporting é maior que o indivíduo. O Sporting somos nós! E este é o momento de mostrar a tudo e a todos, contra tudo e contra todos, que não nos deitam abaixo, estes momentos só nos fazem mais fortes.

Caro Bettencourt, acredito que hoje se sinta mais forte e determinado. É tempo enterrar rancores e tristeza. É tempo de arregaçar as mangas e colocar este Clube no trilho certo: o da VITÓRIA. Conto consigo. Pode contar comigo.



sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Obrigado Paulo.


Para a história de Paulo Bento ficam os resultados:


194 Jogos, com 117 vitórias, 46 empates e 31 derrotas.



Paulo, obrigado.


Agradeço a tua honestidade, frontalidade e frieza desde o 1º dia até ao de hoje. A tua despedida foi em tudo inglória. Com ela, infelizmente nada de importante vai mudar.



O que te irá suceder não será mais do que um paliativo… na mesma medida em que tu o foste, enquanto não afrontaste interesses escondidos.



Foste, líder de um projecto condenado. Sem força administrativa, sem cobertura do poder real, sem ferramentas competitivas e conforto financeiro para colmatar as incidências futebolísticas, fizeste milagres. 4 anos… nenhuma derrota na Taça de Portugal (apenas no desempate por penalidades!), nenhuma derrota na Taça da Liga (apenas no desempate por penalidades), 4 segundos lugares consecutivos, 3 idas à champions league, muitos Euros conquistados mais a valorização e venda do Nani, sem que os frutos desses rendimentos pudessem ser reinvestidos onde era mais necessário – no plantel sénior do Sporting.



Ninguém percebe, ou quer perceber, o quanto aguentas-te ao longo destes 4 anos com arbitragens e árbitros de ódio contra ti, com uma imprensa que nunca “jogou” a teu favor, com “opinadores” que te têm um ódio de morte, com agentes de jogadores que perderam espaço de manobra contigo, com 2 instituições bancárias, que querem (legitimamente) que o Sporting cumpra o plano de pagamentos financeiros estipulado sem qualquer folga – como o fizeram com adversários directos nossos – para investir, com uma SAD fraca e com…uma massa adepta com auto estima muito em baixo e que perdeu forças em tua defesa pelas circunstancias recentes de ver uma equipa abalada por tudo isto e muito mais a jogar o pior futebol de que nos lembramos desde à muito tempo.



Não houve paciência nos adeptos, não houve tomates na SAD, não houve bom senso nos órgãos internos do clube, não existiu uma voz clara e concisa do nosso Presidente. Era preciso um murro na mesa… ninguém se chegou à frente.



Como o barulho já era ensurdecedor, era quase inevitável a tua decisão. Devias era ter tido a coragem para o fazeres logo a seguir ao empate em Guimarães. Escusavas de ouvir o que ouviste no estádio e ser alvo das mais ingratas apreciações de que foste alvo nesta semana e meia. O Sporting é assim. Tu sabias. 4 épocas deram-te um poder que começou a fazer demasiada comichão em sectores sensíveis. Sabias disso, assim como sabias que se algo falhasse esta época, o comboio descarrilaria e não mais seria possível repô-lo no lugar.



Mas, eu sei que tens consciência que a determinado momento também ficaste um pouquinho “embaciado” com esse mesmo poder, o que te levou também a fazer alguns disparates. Viver é aprender. Como disse um colega teu hoje… “hoje começa verdadeiramente a tua carreira de treinador”. Daqui a 2 semanas, vais finalmente descansar. O teu nome irá desaparecer de jornais, tv´s, rádios. O tema Paulo Bento acabará. E tu terás a tranquilidade necessária para olhar para trás e reflectires o que foram os momentos altos e baixos que viveste no Sporting.



Neste país, é proibido ter coragem. Quem ousa tê-la tem o teu destino.


Não será tão cedo que o Sporting terá no comando técnico do plantel sénior alguém com a tua coragem na defesa dos interesses do clube. E um dia, serás reconhecido por alguns Sportinguistas por isso. Desejo-te sucesso e longa carreira. O futebol precisa de homens como tu. Muito acima de tácticas e chouriçadas. Sei que vais ser um campeão. Mais tarde ou mais cedo essa será a tua recompensa.




Obrigado Paulo.


Até um dia destes.